Seja apenas ... Penélope!

Ontem eu estava assistindo Criminal Minds, o episódio "Compromising Positions" e um dos focos foi a personagem Penélope Garcia (interpretada por Kirsten Vangsness). Ela se ofereceu para assumir a função da amiga que deixou o cargo, e com isso iria acumular duas funções: a dela e a da JJ.

Para quem não sabe, Penélope Garcia é uma personagem que usa uma moda alternativa colorida, com muitos acessórios, enfeites de cabeça e cabelos coloridos, ela  tem uma personalidade emotiva, envolvente, animada e é uma hacker que trabalha para o governo. Para assumir também a posição que era de JJ, Penélope assume um ar sério, de cores sóbrias e discretas,  de poucas  e corretas palavras, ou seja, se torna uma "pessoa normal".

Só que aí, ela perde sua personalidade.


Confusa e  atrapalhada, num determinado momento ela está completamente sem saber como agir. Então, seu colega Morgan diz pra ela ser ela mesma, como ela sempre foi, pra nunca mudar, para ela ser a "Garcia original". Aí sim, as coisas voltarão a dar certo.


Na cena seguinte Garcia reaparece como ela é: colorida, falante e alegre.


No fim do episódio, Hotch (o chefe dela), diz: "Garcia, quando você se candidatou a esse cargo, seu currículo era pink. Naquele momento eu vi que você era.... você era única.  E eu não quero que você mude."


E sabe porque resolvi postar isso? Por duas razões, a primeira é óbvia: devemos nos manter fiéis à nós mesmas(os).

A segunda coisa é que a frase de Hotch, me lembrou uma coisa que aconteceu comigo uns 3 anos atras. Eu li em um site, que em profissões que mexem com arte e design, currículos diferentes podem ser um atrativo a quem os recebe. Pode dar indícios da personalidade do candidato à vaga.

Pois bem, naquela época eu estava procurando emprego, li isso e resolvi testar. Comprei uma folha bem bonita (eram um tom creme, não quis ousar tanto na cor) e era reciclada, bem leve e suave.
Queria passar duas mensagens:
1) Sendo meu papel diferente, indicaria que eu me preocupava com design
2) O papel sendo reciclado indicaria que sou uma pessoa preocupada com o meio ambiente.
Imprimi cópias e distribuí o currículo em algumas empresas. 
Resultado: dias se passaram e não fui chamada pra nenhuma entrevista.

Revoltada, voltei ao papel branco tradicional. Um tempo depois, consegui um emprego.
Bizarro não?

Às vezes eu me pergunto se sou avançada demais nas idéias (ou ao menos mais avançada que certos empregadores) ou se o povo (empresários, recrutadores, etc) não entendem de semiótica, não sabem ler nas entrelinhas.

Acho que só em filme mesmo existe a vida e o emprego ideal, onde você é julgada pela seua inteligência e não pela sua aparência.

Eu entendo que certos empregos precisa-se ter certa aparência, mas exigir caretice na área de design e de moda é um atraso!

Ainda bem que ao menos Penélope pode ser Penélope!

2 comentários:

  1. Olá,achei muito interessante este post e a ideia do currículo também!
    Devo confessar que diferentemente da Penélope eu deixei totalmente a minha personalidade de lado, não sei mas, agora sou apenas mais uma na sociedade...
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. GOstei bastante desse post!
    Nunca vi criminal minds, mas essa personagem ganhou meu respeito hehe
    Concordo que as profissões de design poderiam ousar um pouco, acho que tem tudo a ver.
    Talvez o Brasil seja um pouco atrasado quanto a isso :/
    Tem um site que eu gosto de visitar, que o o toxel.com
    Lá não tem design de currículos, mas de vez em quando aparecem uns cartões de visitas muito criativos, entre outras coisas.
    Beijos

    ResponderExcluir

Obrigada pela interação. Os comentários serão respondidos aqui mesmo ^-^