Minha relação com Doro Pesch

 

A cantora Doro Pesch está em sua terceira turnê pelo Brasil. Neste momento, está tendo show dela em Sampa. Infelizmente, por uns motivos (dois, na verdade) não pude ir e estou muito triste! É a primeira vez que não vou num show dela! Justo eu que fui uma das fundadoras do street team dela no Brasil! Ainda bem que as outras meninas e meninos do ST e dos grupos brasileiros dela vão e espero que eles se divirtam bastante por mim. 

O meu consolo é que ouvi e assisti a entrevista ao vivo dela hoje na rádio Kiss FM e este show será gravado para um DVD, então, ao menos poderei assistir depois!

Eu considero minha história com a Doro, uma coisa muito especial.

Começou quando eu tinha uns 8 anos e eu achei uma revista de Rock do meu irmão com ela na capa. Meus pais e irmãos mais velhos sempre escutaram rock em casa, nasci na década de 1980, então tanto o rock, como o hard e o heavy metal eram mainstream. Mas na minha casa sempre rolou muito rock cantado por homens e quando vi aquela mulher com cabelos até o quadril e roupa de couro na capa da Rock Brigade e uma matéria que falava sobre as mulheres do metal, de alguma forma, aquilo me impressionou, porque era a primeira imagem de uma "cantora de metal" que eu via e aquilo ficou na minha cabeça. 

À medida que fui crescendo, fui me interessando mais e mais por rock e no meio do caminho comecei a conhecer/ouvir bandas que tinham  mulheres no vocal, como a própria Doro, a Lita, o grupo Vixen, o Bangles... 

Quando eu tinha 12 pra 13 anos é que eu comecei a me entender como gente e me auto-definir como "roqueira". Passei a pesquisar bandas em revistas e trocar cds com colegas de classe também roqueiros.

Aquela tal matéria da Doro, que eu vi com 8 anos de idade, nunca saiu de minha cabeça, e durante toda minha adolescência eu procurava cds dela e procurava pessoas que a conhecessem. O que era meio em vão, na minha cidadezinha, praticamente só eu me interessava pela Doro e por bandas com mulheres no vocal. Era fim da década de 90 e o heavy metal estava em baixa, então encontrar algo da Doro era algo realmente difícil.

entrevista de hoje para a rádio Kiss

Foi só lá por 2002 que eu comecei a conseguir mais material dela na internet e com o orkut, que eu entrei em 2004, conheci mais e mais pessoas na comunidade Doro, Deusa do Metal. Dentre as pessoas que conheci, a Natália, a Thaís, o Rodrigo e por um tempo a Andressa e a Camilla, eram grandes fãs dela também e formamos o street team da Doro no Brasil, nossa função era divulgar ao máximo ela por aqui. De lá pra cá, mais ou menos a partir de 2006, devido ao revival da cena oitentista, a Doro cresceu muito e ela está cada vez mais e mais conhecida!
 
Eu fico muito feliz de as meninas hoje já saberem quem é a Doro logo de cara quando começam a ouvir metal. Quando eu era teen, infelizmente não era assim! Quase nenhuma menina que eu conhecia curtia ou conhecia a Doro, mas é porque naquela época não tinha internet, tudo era na dependência de trocar cds e revistas. Tinha bem menos meninas ouvindo som...

Eu brinco dizendo que ser fã da Doro moldou minhas escolhas. Eu virei uma grande ouvinte de all-female bands e de vocais femininos no rock, metal e hard rock e eu, inspirada pela Doro, me apaixonei pela moda heavy metal mais fetichista. Eu direto faço corselets de vinil inspiradas nos que a Doro usa.

Acho que serei uma eterna fã da Doro, estive pessoalmente com ela duas vezes e a energia e a forma como ela te trata - como se te conhecesse há anos - é uma coisa absurda! Já estive com alguns artistas em backstage ou tietando em hotéis, mas nenhum de forma alguma se compara à forma como a Doro trata seus fãs, como irmãos, como uma família mesmo. Fora que ela é muito mais linda pessoalmente!


Eu com a Doro em 2006 e depois em 2011 com Nati e Thaís
Apenas uma pequena parte de minha coleção
"für Sana"
carta aos fãs no último DVD.

Este post é só um consolo pra mim mesma e uma homenagem à minha rainha, só porque não posso estar perto dela hoje. Mas espero que minha vida e a dela ainda se encontrem muitas outras vezes.

2 comentários:

  1. Só lembrei de você enquanto assistia a entrevista. Que mulher linda né!! E esse cabelo, corte perfeito!! Acho que nem precisa elogiar a música rsrs. Po a Doro é um ótimo exemplo para o post de pessoas alternativas mais velhas. Conheço pessoas mais novas que não teriam coragem de usar nem os cintos dela hauhauahauhaua Ahh falando em banda de garotas, viu que o Crucified Barbara vai fazer turne aqui? Vai ir? Pelo visto vai ser o único que eu vou esse ano (motivos financeiros rsrsrs)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai valeu por lembrar de mim ^^
      Ela é linda DEMAAAAAIS! E a energia dela é contagiante!
      É verdade, ela é um ótimo exemplo, tem roupas que ela usa que dá sim pra usar tipo as jaquetas e as calças!
      Pois é... eu vi isso das Crucifieds queria ir! Show tá caro mesmo =/

      Excluir

Obrigada pela interação. Os comentários serão respondidos aqui mesmo ^-^