Onde estão os blogs nacionais de adultas alternativas?

Estou sentindo falta de blogs alternativos escritos por meninas mais velhas (faixa dos 27 anos pra cima). Eu digo 27 anos pra cima porque a partir desta idade a pessoa já sabe mais ou menos o que quer da vida e consequentemente já sabe quem ela é, o que gosta e já tem uma personalidade definida.
 
Como uma "jovem adulta alternativa", eu tenho sentido falta de blogs de pessoas acima desta faixa etária contando suas experiências nesta idade. Tipo, como elas usam maquiagem numa pele que já começa a ficar madura, se ela usam a moda alternativa no trabalho e em ambientes mais formais, se elas usam roupas alternativas pra ir no mercado, no shopping, como elas adaptam a moda à idade e etc.

A maioria absoluta dos blogs que sigo, de garotas mais velhas, é gringo. Eu adoro! Mas acaba que eu recebo apenas referências do exterior. E a gente sabe que a vida no exterior (Europa/Usa) é diferente daqui, né? 
Aqui no Brasil eu posso citar o blog da Giovana (This is My World) e o blog da Erika (Black Baroque) se bem que não sei se a Erika tem mais de 27 - como blogs de mulheres que mantém a moda alternativa em suas vidas adultas.

Eu fiquei um tempo com o Diva Alternativa parado por diversos motivos. Acabou que assim que voltei em definitivo, de 2 meses pra cá, conheci alguns novos blogs nacionais que seguem a linha alternativa. Os blogs alternativos, destas moças mais novas (bem novinhas mesmo), seguem o que a geração delas entende por conteúdo legal em blogs: resenhas, looks do dia, dicas de maquiagem... mas é claro e óbvio que a linguagem é voltada à faixa etária delas.

Nós ainda temos a mentalidade de que Moda Alternativa é algo juvenil e talvez as meninas mais velhas se acanhem em ter seus próprios blogs pra contar suas experiências. Nossa sociedade idolatra a juventude, mas todos envelhecem! E quanto mais referência de adultos alternativos tivermos, melhor! 

Experimente buscar algo no google como "adults alternative fashion" ou "alternative adults" e não encontrarás nada relevante tamanha a falta destas tags na web. Eu tentei achar mais imagens pra ilustrar este post...

Como mesmo depois de "grande" não larguei o estilo alternativo, existem alguns fatos na minha vida: eu sempre acabo tendo/fazendo amizade com pessoas mais novas do que eu. Simplesmente porque pessoas da minha idade deixaram o alternativo de lado. 
Outro fato: eu adoro ser amiga destas pessoas mais novas porque elas tem aquela energia, inocência, impulsividade e coragem juvenil de ver tudo positivamente. Quando adultos, por experiências na vida e sabermos como as coisas funcionam, tendemos a não ver o lado positivo sempre.

Às vezes eu penso se não sou privilegiada demais. Usar a moda alternativa depois de adulta não é a norma no Brasil. As pessoas me dão menos idade. Mas não sei se é porque eu realmente aparento ou porque as roupas me deixam com menos idade (a gente sabe que tem roupa que envelhece). 

E às vezes eu tenho conflitos porque a pessoa que eu vejo no espelho, que começa a ter suas primeiras linhas finas (que virarão rugas)  não é a mesma que eu sinto por dentro. A pessoa que eu sinto por dentro é enérgica, juvenil, "rocknroll". E a pessoa do espelho insiste em me mostrar as mudanças físicas.
A pessoa de dentro de mim me diz: vamos usar uma sainha curtinha de babados com meia arrastão e botonas!! 
Ocasionalmente, a pessoa do espelho me diz que "há uma idade apropriada pra tudo". E aí eu me sinto pra baixo e acho que preciso de um guarda roupas mais conservador e de um cabelo castanho.
São momentos de bipolaridade. Não é sempre que acontece. É nestes momentos que tenho que ser forte porque é uma guerra comigo mesma.

Existem pessoas que não vivem o que querem viver e são infelizes por isto. Eu não quero ser destas pessoas! Temos que fazer o que nos deixa e nos torna felizes. E pra isto, precisamos encontrar pessoas que nos aceitem como somos e até mesmo que compartilhem o mesmo pensamento. Assim, a corrente de felicidade se compartilha e se espalha.

Por isso, eu fico triste quando leio/ouço meninas de 20/22 anos dizendo que estão "velhas" pra usar moda alternativa porque precisam entrar no mercado de trabalho! Mas é justamente na faixa dos 20 anos que podemos ousar e abusar de tudo!!
Se com 22 anos estão se sentindo derrotadas, o que esperar do futuro delas em relação à moda alternativa?
Creia em mim, se formar na faculdade aos 21, 22 anos e ter de entrar no mercado de trabalho não é e não deveria ser o fim de sua estética alternativa!
Da mesma forma que estar desempregada nesta faixa etária ao sair a faculdade não é tão ruim quanto estar desempregada aos 30 anos. Aos 30 a pressão pra deixar o alternativo de lado é MUITO maior. É quase não ter escolha. 
Você PRECISA ter uma "estética dupla" aos 30! (as roupas socialmente aceitáveis e as roupas alternativas). 
Então, ver meninas dizendo que "já estão com 22 anos" e não podem usar mais tais coisas é chocante!!

Claro que existe a experiência de vida de cada um, algumas pessoas aos 20 anos já passaram por muitas situações mas, não sei... meu conceito de pessoa alternativa é usar referências alternativas sempre que puder.

Eu não me defino pela minha idade. Na verdade, começo a me considerar "sem idade". Porque em nossa sociedade, a idade ainda limita e define como você deve ser e se comportar. Eu não me encaixo nisso e não quero isso pra minha vida! Tenho muito orgulho de mim por estar resistido bravamente em me manter na moda alternativa apesar de todas as críticas e olhares duvidosos sobre minha capacidade! Porque não falta gente pensando que, porque temos apreço pela estética alternativa, somos intelectualmente e emocionalmente instáveis. Somente nossa perseverança provará pra estas pessoas que somos capazes e que julgar pela roupa e pela cor dos cabelos são convenções sociais cheias de preconceitos. 

Dicas de blogs nacionais de adultas alternativas? Estou aceitando!

76 comentários:

  1. A gente tem que seguir o que gosta, fim. A limitação é sempre imposta pela sociedade, mas ela não deve existir dentro da gente. É a mesma coisa de tentar ser uma pessoa que você não é, não vai dar certo e vai gerar infelicidade.

    Eu tenho 21, mas tenho meu estilo diferenciado desde... que me entendo por gente? Talvez desde quando passei a escolher as minhas roupas. Posso me encaixar nessa parte "nova" que você citou, mas já sei que eu não poderia abandonar meu estilo pessoal. Eu simplesmente não seria feliz.

    Ainda sim quando senti a pressão de ter que trocar a cor do cabelo quando precisava de um emprego. Eu não cedi. E hoje, algum tempo depois, tive certeza que fiz a coisa certa. A vida é uma só, e porque desperdiçá-la vivendo conforme os outros, né? /:

    Enfim, gostei do blog.

    • Asphyxia •
    http://universoasfixia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo que esse limitação não deveria existir dentro da gente, mas de uns 2 anos pra cá eu passei por muitas dúvidas. Dizem que é o tal "retorno de saturno" rsrsrs! E pela primeira vez na vida me senti insegura quanto à questão de permanecer usando moda alternativa ou não. E já que decidi permanecer, agora sinto falta de outras meninas mais velhas contando suas experiências.

      E com 21 anos eu era assim como você! Super decidida, batia o pé e já meio que suspeitava que eu seria alt. por muuuito tempo!! Bom, eu já saí de emprego porque se incomodavam com meu visual, isso porque trabalho com moda, uma área que teoricamente não deveriam se importar em como os outros se vestem. Porém preciso salientar que optei por sair porque eu podia. Mas se eu não tivesse condições ($$) e precisasse muito do emprego, talvez eu mudasse algo sim. Enfim, diversos fatores nos influenciam nas escolhas.

      Com certeza, a vida é só uma, não dá pra desperdiçar!!
      Já estou acompanhando teu blog.
      bjs e obrigada!!

      Excluir
    2. Entendo perfeitamente a situação. E no fundo, no fundo, a gente sabe que mesmo quando não pode abrir mão de algo por causa do estilo, na primeira oportunidade, iremos tentar resolver de outro jeito. (Acho que foi o seu caso, né? Resolveu de outro jeito, pelo que parece! ^^).

      E sim, existe diversos fatores, não há como negar.
      Enfim, obrigada pela atenção. Beijos

      Excluir
    3. Ah, última coisa: pensando sobre o assunto, resolvi voltar e dizer: Não gostaria de ficar com a imagem de "bato o pé e faço o que quero", não é bem uma questão de ser rebelde e não se importar com nada, é mais questão de se esforçar o quanto for possível pra continuar sendo eu mesma. :P

      Agora fui mesmo!
      Beijos

      Excluir
    4. É, a gente arranja outro jeito. No meu caso, não desistir até achar um emprego que não implicasse tanto em como os funcionários se vestem!
      Certo, entendi sua posição! Qdo eu era novinha (até uns 18/19 anos) eu realmente era muito rebelde e batia o pé em algumas questões! Mas era coisa de pós-adolescente né? A partir dos 20 eu já estava bem mais tolerante e negociável, mas estas coisas me fizeram ser quem sou =D
      Bjs e até!!

      Excluir
  2. ótimo post Sana ♥
    eu tbm sinto falta de mais mulheres maduras em blogs,e internet em geral,tbm adoro os blogs das mais jovens
    mas seria legal ter mais amigas maduras na net.
    quase 90% das meninas que conheço mudaram o estilo ao chegarem nos 30,elas ainda admiram a estética,mas não usam mais.
    eu tbm tive as maiores crises na faixa dos 35,onde eu queria usar algo,mas ficava com medo de parecer ridícula,altas crises hauhauuuha,tentei mudar,mas passou,agora q sobrevivi a isso me sinto bem mais confiante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Falta muito blog de mulher acima de 30 por exemplo. Tem algumas mais mainstream mas alternativas, nossa! é dificil!! Dá pra contar nos dedos de uma mão quantas adultas alternativas tem blog!!
      É, essa coisa de achar que estou parecendo ridícula, eu passei por isso. A gente coloca roupa e ao invés de pensar que está bom, se pergunta se tá ridículo hahaha! Fora as referências de maquiagem por exemplo, muitas são pra peles de meninas novinhas...
      Bjs!!

      Excluir
  3. Mesmo tendo 20 anos, já me vejo forçada a ter essa "estética dupla" principalmente por morar em cidade pequena, e estar em busca de um emprego. Mas de forma alguma me vejo sem o lado Alternativo, pois é o que eu sou.
    Infelizmente, não tenho indicações de blogueiras alternativas adultas pra te dar :/

    Beijo Sana, to adorando o Diva, assim como adoro o MdS *-*

    http://eccentric-beauty.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A questão de entrar no mercado de trabalho SEMPRE dá um crise!! Não adianta, trabalho tem que ter um tipo de roupa e lazer, outra. Mas uma coisa te garanto, com 20 anos ainda dá pra ousar muuuito fora do trabalho, e isso vc tem que aproveitar!!
      Bjs e obrigada! ^^

      Excluir
    2. Lembrei de uma blogueira alternativa de 27 anos, a Alê do Horror and Beauty. Se você já não conhece, vale super apena a visita, ela é uma fofa :D
      O blog dela é esse: http://horrorandbeauty.com/

      bjs!

      Excluir
    3. Obrigada pela dica! =D
      Eu conheci o blog da Alê há pouco tempo, tipo uns 2 meses, mas infelizmente não tenho consigo comentar lá por causa do wordpress, já até enviei mensagem pra ela avisando isso.

      Excluir
  4. Vc escreveu praticamente tudo o que sinto, apesar de eu só ter 22 passo por isso.
    Não tenho amigos alternativos e to no meio bem careta da engenharia, mas agora que trabalho e tenho meu dinheiro cada vez mais quero fazer minhas tattoos, usar coisas alternativas, que eu quase não usava pq dependia dos meus pais, só que não sei como fazer tudo isso, ai rola a insegurança de tipo "ah , vão achar que não quero virar adulta" .
    Fiquei mais tranquila de saber que não sou só eu que penso nisso, pra mim é muito triste ver esse povo "crescendo" e largando seus gostos só pq " não é apropriado na minha idade", idade num significa NADA!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza não é só vc! Acho que muitos passam por isso mas não falam por isso seria bom mais pessoas desta idade tendo blogs e falando sobre suas experiências.
      Olha, como eu comentei ali em cima em resposta pra Nayara, na faixa dos 22 anos a própria sociedade nos dá a liberdade de ousar bastante. Então sugiro que você use suas coisas alternativas em momentos de lazer, em passeios e deixe a caretice pro trabalho. Pressão mesmo vem só lá pelos 27, 30 anos quando a sociedade já passa a considerar uma pessoa definitivamente adulta. Então aproveite os 20 e poucos pra experimentar muito porque aí quando vc estiver com 30 já saberá o que curte e o que vai manter pra vida ;)

      Mas eu acredito que existem 2 tipos de alternativos: os de fase e os "mais comprometidos".
      Os de fase tendem a largar a estética quando esta começa a dar os primeiros sinais de problemas. Embora apreciem a cultura alternativa, já não se importarão tanto mais com ela no decorrer da vida. Já os mais comprometidos, se não puderem manter o visual, eles tentam e também tentam manter o pensamento, os ideais (se tiverem) e continuam se interessando pela cultura alternativa.
      ;)

      Excluir
  5. Conheço garotas maduras(rapazes também) que ainda se mantêm fiel ao seus gostos alternativos sem ceder necessariamente para padrões impostos pela sociedade, não acho que são tão raros... na realidade o que é raro é essas pessoais se interessarem expor e compartilhar seu estilo de vida num blog, e dos poucos que tem blog a maioria não posta sobre esse tipo de assunto.
    Acho valido a iniciativa de querer reunir blogs do tipo para incentivar a cena a não se render a "normalidade", mas sinceramente, pessoas que arranjam desculpas para não expor sua personalidade talvez de fato nunca tiveram uma atitude alternativa, apenas se fantasiavam disso para se aparecer, creio que por isso temos a fama de moda de adolescente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu conheço também algumas pessoas adultas que mantém seus gostos, mas são mais da cena Metal.... Mas acho que cena metal é mais "sussa" porque o uniforme deles é jeans + camiseta de banda, eles se montam mais pra shows e bares, mas continuam acreditando em seus ideais. E esta é uma cena que realmente não se importa muito com blogs e principalmente com moda hahahaa!

      É, verdade, algumas pessoas não tem interesse em compartilhar seu estilo de vida num blog. Eu mesma não tinha. Mas senti falta e decidi começar algo. Fora que a geração que tá com 20 anos agora nasceu com a internet, então talvez pra eles se expor na web seja algo mais "natural" do que pra quem é mais velho.

      Outra coisa que acho que fortalece essa idéia de "moda de adolescente" é a questão do abandono do estilo quando se começa a trabalhar ou quando se casam, tipo, por algum motivo as pessoas deixam de sentir prazer e interesse pela moda/estilo/estética...



      Excluir
    2. Meu mundo não se restringe tanto a cena Metal, mas concordo que eles parecem ser mais tranquilos nisso de visual...

      Sabe, na minha época de adolescente eu era(acho que ainda sou) meio que um híbrido de hippie + gótico (eu sei, é tenso, hahaha), obviamente não me enquadrava muito bem nesses grupinhos sociais mais populares como punks, headbanger e tal, muitos "alternativos" olhavam torto para mim por não ser/seguir exatamente um estereotipo como eles.
      Mas o tempo mostrou quem tinha uma personalidade mais forte e convicções que não mudaram para se adequar ou ter mais facilidade na nossa sociedade. Ainda brinco com alguns dizendo "abandonaram a causa", como resposta desculpas variadas para justificar uma coisa que não tem explicação além da clássica castração social.

      sobre trabalho, acho que isso não é exatamente um limitador, mais uma desculpa conveniente para muitos! Bom, atualmente sou professora, meus alunos sempre me perguntam se sou gótica, os menores sempre me interrogam para ver se não sou um vampiro (serio!), fora que muitos pais olhavam para mim com a cara meio atravessada por ter cabelo colorido e ter um visual tido como "não adulto"/tenso... mas o que no inicio é visto com desconfiança consegui reverter para sucesso, aprendi a fazer jus ao meu visual e me destacar tanto quanto ele profissionalmente. Por isso sempre tive na minha cabeça que a questão não é o visual, é a postura diante do mundo...

      Dificuldade sempre temos, é o preço de ser alternativo, de pensar diferente e manter a cabeça aberta quando a maioria é preconceituosa, ignorante e mente fechada. render-se e abandonar o que se é, nao passa de conformismo e permitir que lhe tirem um meio de expressão.

      Excluir
    3. Puxa, eu conheci uma menina que também misturava hippie com goth, é interessante!
      Abandonaram a causa, sim... mas eu particularmente acho que existem pessoas que tem "fase" alternativa, uma época de experimentações e descobertas e outras que se interessam pelo alternativo de forma mais profunda. A questão do trabalho eu penso que nem sempre é uma desculpa, às vezes é um fato. Só penso que alguns lugares é mais fácil e em outros não. E levo em consideração que a mentalidade está mudando em alguns locais, estão ficando mais tolerante, lentamente, mas estão. A vida dupla/estética dupla define quem não pode trabalhar alternativo!


      Excluir
  6. Olá!
    Eu estou para completar 27 anos esse ano,e sei bem como é isso...Já larguei (em meados de 2008-2009) o estilo por um tempo,mas me senti tão mal,porque acredito que nosso visual é a extensão do nosso Eu interior.De fato tenho duas facetas,e não me sinto pressionada quando tenho que assumir a faceta "social", não tenho problema em ceder um pouco por causa do trabalho,já tive que mudar a cor do cabelo,porque é algo irrelevante quando precisamos trabalhar e nos manter.Com 21 eu entrei na empresa de cabelo castanho, e trabalhei com cabelos coloridos,porque antes de mais nada,perguntei ao chefe se poderia pintar,ele aceitou porque a cor era discreta, e ambas as partes saíram satisfeitas.Sempre respeitei os outros, e nunca fui de bater o pé quando era para acatar ordens,mas sempre fui de questionar de forma coerente.Sempre acabo fazendo amizade com pessoas mais novas também,nem é pelo estilo,é pelo fato de'u não aparentar a idade que tenho,e isso gera situações bem engraçadas.
    Mas nunca fui julgada no ambiente de trabalho pelo visual,eu era bem respeitava,o mais interessante que o desrespeito vinha dos meus amigos que largaram o estilo por causa da idade/emprego, e me julgavam "imatura" por eu ainda me vestir dessa forma.Mas não fiquei ofendida,apenas cortei laços,se alguém me julga pela aparência,não merece meu respeito e muito menos minha amizade.A beleza está na singularidade de cada pessoa,e isso eu admiro muito em quem se aceita e não se esconde.
    Aqui na cena tem até mães com filhas na casa dos 20, que frequentam a cena e são felizes e isso eu acho muito,mas muito legal!Acredito que cada um tem a liberdade de fazer escolhas,mas também tem o dever de entender que ninguém é igual a ninguém,e que não há obrigação nenhuma em ceder aquilo que as pessoas acham correto.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcela!
      Ótimo depoimento o seu! Concordo muito! ^_^
      Agora já sei que seu blog vai se encaixar na minha lista de "blogueiras acima de 27", espero acompanhar a evolução de seu estilo nesta fase da vida!
      Sim, ser julgada como imatura apenas demonstra que as pessoas não questionam o senso comum, eles apenas repetem atitudes e pensamentos que aprenderam. Isso é triste porque mostra como nem todo mundo usa o cérebro e reflete sobre estas questões. Afinal, ser alternativo é justamente sempre questionar o que é dado como "certo".
      Bjs!!

      Excluir
  7. Eu as vezes me pego pensando nessa mesma coisa : idade x roupas. Mas aí vejo que meus amigos 10 anos mais velhos que eu,continuam usando camisa de banda e coturno,e vejo que essa coisa de idade é coisa da nossa cabeça. O importante é estar bem. Claro que o estilo amadurece com o tempo,certas coisas que eu usava com 15 anos,eu não uso hoje. O que acho isso algo normal. Mas agora largar porque a sociedade 'manda',me desculpe...mas vá comprar uma personalidade. Eu mesma penso seriamente em fazer um blog,apesar de acompanhar uns mais alternativos,mas acho que muitos ficam agora no lugar comum de outros blogs e poucos realmente focam em looks,tutorias de maquiagens e afins realmente alternativos e o principal,que seja usável. Não tenho ainda mais de 27 anos,mas já estou na casa dos 20 e poucos. Acho que o problema das pessoas,é achar que não dá pra manter o estilo na escola/faculdade/trabalho...claro que dependendo da profissão não rola se montar como se fosse pra balada. Eu sou fotografa,então não enfrento esse problema de vestimenta.
    Não conheço blogs de alternativas,mas tem uma modelo chamada Razor Candi (que mora na Romênia) e se eu não me engano ela tem entre 27/28 anos e continua preservando o estilo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hmmm, acho que discordo de você quando diz que a coisa de idade é da nossa cabeça. Na verdade não é problema da nossa cabeça, é da cabeça dos outros rsrsrs! O problema é que esses outros é que nos dão emprego, por exemplo. ;-D
      Bom, eu como eu disse, passei por uma crise uns tempos atrás (e a Gio também, pelo que ela comentou acima), então pelo menos comigo eu senti sim essa pressão da sociedade e até ponderei amenizar muito meu estilo. Mas claro, cada caso é um caso! Não posso generalizar!

      Sim! Super normal não usar e não se interessar por coisas que a gente se interessava antes, nós temos fases e evoluímos e às vezes pode até ser que no futuro a gente resgate uma peça ou um estilo que havia deixado de lado.

      Ah eu conheço o blog da Razor! Eu adoooro ela, acho linda demais!! Mas ela é modelo né? Na verdade ela é das poucas modelos alt. que vivem exclusivamente de modelar. Então eu não considero o blog dela tanto uma referência por isso, porque ela é modelo e vive da imagem. Mas agradeço muito a dica e sua opinião!! =D
      Bjs!

      Excluir
  8. Não sou exatamente alternativa, mas tenho 28 anos e cabelo colorido. Engraçado que é algo que eu sempre quis para mim e sempre achei bonito. Eu tive dos 18 aos 20 cores fantasias na franja e na nuca, e antes disso usei bastante vermelho na cabeça toda. Depois disso eu desencanei até setembro do ano passado. Aí eu resolvi pintar de novo e usar as pontas azuis. É engraçado porque a reação da grande maioria das pessoas foi bem positiva. Eu estudo medicina e tinha medo que mudar o cabelo fosse mal visto, mas pacientes, colegas e professores sempre foram muito respeitosos comigo e com minha "alternatividade capilar". Mas eu imagino que com certeza as coisas são mais difíceis para quem assume um visual integralmente alternativo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa que legal! Que bom que seus cabelos são bem aceitos numa a carreira tão tradicional! =D

      Excluir
  9. Sana, assim que vi no Moda de Subculturas que você tinha um blog pessoal vim correndo olhar rs. Adorei! Um dos motivos de eu ter criado o Black Baroque foi ter me feito a mesma pergunta que é o título deste post. Porque todos os blogs que eu acompanhava, na época, eram de estrangeiras e o Moda de Subculturas. Ganhei o dia com "se bem que não sei se a Erika tem mais de 27" kkk, pode me incluir na lista das maduras que eu já passei do 30 hahaha. Na época em que saí da faculdade, com vinte e poucos, passei por esta mesma situação das meninas que você citou, me joguei de cabeça na vida profissional abri mão do meu estilo por exigência do mercado. Entrei na faculdade de coturno e cabelo vinho e saí de terninho. Fiquei assim por um bom tempo, achando que "o sonho tinha acabado" e era hora de encarar a vida adulta. À medida que fui me sentindo mais segura como profissional fui reintroduzindo as peças que gostava. Concordo com o que você falou de que muitas vezes é preciso ter uma estética dupla aos trinta, ainda mais para quem escolhe carreiras tradicionais, infelizmente é a realidade. Acho que muita gente passa por isso de querer desistir, ceder a pressão e se adaptar, simplesmente, mas pela experiência que tive, acho muito doloroso porque não é só uma questão de estética, é como querer matar quem você realmente é. Acho também que, comparando com a década de 90, quando pintar as unhas de preto, era dizer ao mundo que você tinha feito um pacto com o diabo e usar pentagrama, então, nem se fala (sim, eu vivi isso), hoje vejo menos hostilidade, pelo menos nas grandes cidades. Queria fazer mais posts de looks e maquiagens no Black Baroque, mas este tipo de post dá muito trabalho e às vezes tenho a impressão de que simplesmente não existe público para isso, porque as mulheres da minha idade já desistiram e as mais jovens estão acostumadas com outro tipo de linguagem e com estéticas mais "ousadas". Espero que com este seu post aqui, consiga incentivar mais mulheres adultas a compartilhar mais e a trocar mais idéias e experiências com relação à moda alternativa em blogs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Erika, que bom te ver aqui!! =D
      Pelo que eu acompanho teu blog, o seu é dos únicos e raros em português voltados pra mulheres alternativas crescidas!
      Bom, se você tem mais de 30, pode ter certeza que você aparenta menos hahaha!!
      Acho interessante essa reviravolta que você deu na sua vida quando algo dentro de ti, após se sentir mais segura, não aguentava mais ficar preso e escondido e resolveu dar às caras de novo no seu look. Isso mostra como sua (nossa) alma é inquieta e sabe do que gosta e do que faz sentir bem.
      A estética dupla é inevitável, não é desistir e não é fraqueza, é simplesmente sobrevivência rsrss! Ou melhor ainda, uma amostra de toda a versatilidade das pessoas alternativas rsrsrs!!
      Bom, eu fui teen na década de 90 e eu fazia esmaltes coloridos com carga de caneta (pq não tinha, só tinha com cores caretinhas), eu customizava, usava tachas e hoje isso parece batido e básico, mas na época isso era algo realmente chocante!
      Post de look eu já acho que dá um trabalhinho, imagina de make!! Olha, eu acho que público até deve ter, porque as que não tem 30 ainda, um dia terão rsrsrss! Eu adoraria sim que mais meninas mais velhas tivessem blogs e contassem suas experiências com relação ao amadurecimento estético.
      Bjs!

      Excluir
  10. Oi Sana! Nao sabia que você tinha um blog pessoal, amei!

    Eu pessoalmente não sou adepta da moda alternativa, porém tenho muitas amigas que são e sou fascinada por todas as estéticas possíveis nesse mundo, tanto que estou realizando uma pesquisa para o desenvolvimento de uma coleção de moda (para a minha formatura) justamente para mulheres "mais adultas" e que querem se manter adeptas ao estilo alternativo. Portanto AMEI esse post e com certeza acompanharei tambem esse seu outro blog já que é REALMENTE difícil encontrar mulheres alternativas com idade mais "avançada", ainda mais na cidade onde eu moro. Muito obrigada e continue postando! beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Obrigada e bem vinda! ^^
      Hmmm interessante essa sua pesquisa, se quiser mandar pra mim ou que eu poste nos blogs pra ver se mais meninas respondem, é só avisar! ;-)
      Bjs!

      Excluir
  11. Olá!.....Não sei se meu blog é alternativo?...A maneira de cada um ver ...ou perceber o que se denomina alternativo!...Creio pode variar?? Não?...Bem gosto dos seus blogs. E gosto do meu... Penso que é meio fora da casinha... nada comercial...faço e digo o que quero , penso e principalmente o que eu amo...(muita coisa).....hummmm creio que estou fora da sua faixa etária, com 63 anos... Mas como a maioria absoluta das blogueiras são "menininhas" eu manter um blog há mais de três anos seja alternativo!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marta!
      O conceito de alternativo é muuuito amplo, se não é convencional, se não é preocupado em seguir as regras do mainstream ou do que é dito com "certo", com certeza é alternativo!
      Imagina, 63 anos ainda é noviiinha hehee porque considerando que hoje muitos chegam perto dos 100 aninhos, ainda se tem muito o que viver!
      Deveria mesmo ter mais pessoas mais velhas com blogs!! Parabéns pelo seu!

      Excluir
  12. Olá,
    Acabei de descobri o blog e não o largo mais rsrs, já era frequentadora assídua do Moda de Subculturas.
    A maioria das minhas amigas da cena alternativa são mais jovens que eu, e as vezes a gente realmente fica se perguntando se não está ficando "velha" para usar esse tipo de roupa ou esse tipo de calçado, mas então penso que quando era mais nova não tinha dinheiro para bancar o estilo que queria e agora que trabalho e tenho money para comprar o que quero! acho que não vou desiste das minhas roupas alternativas, elas fazem parte da minha personalidade, claro que as vezes temos que amenizar o look por causa do trabalho (principalmente em ambientes mais formais) mais fazer o que não é, rsrsrs.
    Bjim!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah que graça,obrigada Raquel! ^^
      Pois é, por estes questionamentos acho que todas vamos passar/ já passamos... E eu concordo, quando mais nova eu vivia num mundo sem internet e longe de lojas legais de rock e não podia usar roupas mais diferentes, depois, quando passei a ter acesso, passei a consumir tudo que queria! E acho um desperdício "não poder" usar mais tais coisas porque "dizem que" não é apropriado pra adultos. Ah vá!...
      Se parar pra pensar, todo mundo tem roupa "de trabalho", até pessoas normais, então a questão de amenizar pro trabalho é compreensivel, mas abandonar o alternativo de vez, aí sim complica porque fica faltando um pedaço da gente.

      Excluir
  13. Eu tenho 38 e continuo gostando e usando moda alternativa mas nada tão "pesado" como usava antigamente.
    No inverno parece ser mais fácil "se montar" pois no verão fica difícil usar muito preto e todo mundo (digo, família) pega no pé. Parece que com o tempo temos a obrigação de virarmos caretas e "normais) e gostarmos de coisas que agradam à sociedade. É uma luta pra manter seu estilo e continuar sendo uma mulher, não mais menina (ai que saudade!!!!).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho até normal usar coisas menos pesadas, porque com o tempo gente acaba definindo nossa personalidade e já sabendo o que gosta e assim, selecionando mais o que vestimos!
      Concordo! No inverno é mais fácil! Dá pra usar preto sossegada e por exemplo, meias calças mais estilosas! =)

      Excluir
  14. Nossa, amei o post, me identifiquei totalmente, eu sempre soube que era diferente , desde de pequena, eu sempre quis ter cabelo colorido , usar roupas diferentes, mais minha família não entendia , então o máximo que eu fazia era clarear o meu cabelo , e tirar fotos emo..ahahaha...com os meus 21 anos eu consegui ir no meu primeiro show internacional que foi da banda Paramore, e a vocalista Hayley Williams sempre teve os cabeos coloridos eu inejava muito isso , porque sempre foi meu sonhos, no show tinham muitas garotas com cabelo rosa , e naquele dia eu pensei vou pintar o meu cabelo de roxo. A primeira vez que eu pintei foram só as pontas, porque minha mãe falava muito na minha cabeça, daí teve um dia que me deu a louca e pintei da raiz até o meio de rosa e o restante ficou roxo, eu nunca me senti tão eu na vida, era como se eu realmente tivesse me encontrado, mais morar no interior é complicado as pessoas não aceitam nada que seja diferente , então meu cabelo colorido só durou alguns meses , fico triste até hoje, mais é a vida , acho que não tenho mais coragem de ter um cabelo colorido o máximo que eu pinto é ruivo, agora com 24 anos , é como se eu sentisse que não tenho mais idade pra fazer tanta coisa, mais sabe quando você realmente esquece que idade tem , as vezes acontece isso comigo, e é quando eu to mais feliz,não posso me expressar pelo meu corpo , mais minha personalidade sempre continuará alternativa, e isso é bom , eu não quero para de ser quem sou , eu me amo por isso, obrigada pelo post, é bom saber que eu não sou a única que passa por isso .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro as cores e os cortes de cabelo da Hayley!!
      No interior é complicado mesmo, só quem mora em cidade pequena compreende hehe!
      Imagina, 24 anos ainda dá pra ousar bastante, não entra nessa de desanimar não!! Quando a gente esquece da idade e das cobranças sociais associadas à ela, a gente se sente mais livre mesmo! Tomara que você consiga se expressar cada vez mais e mais pela sua personalidade, não desanime!

      Excluir
  15. Noossa!!! Isso foi tão ''pra mim'', principalmente o último parágrafo, esses dias atrás postei em meu status no Facebook que estava me sentindo um ''E.T" na cidade em que estou morando. Eu morava na capital, Porto Alegre e as pessoas não se importam e não ficam te olhando dos pés a cabeça mas já onde estou morando como é uma cidade metropolitana, mais interior mesmo, gente, nem exagero no visual, apenas uso meu cabelo moicano azul, as pessoas olham e cutucam as outras e comentam como se eu fosse de outro mundo. Tenho 31 anos e quase sempre ando com minha filha de 8 anos, ela também aderiu ao estilo alternativo, usa mechas rosas, embaixo do cabelo azul e um corte bem desconectado, na escola as crianças perguntavam se era tinta de verdade. As vezes porque somos mais maduras, acham que devemos seguir o modelo da fábrica, cabelo longo, liso com luzes loiras e roupa elegante. Não, me recuso, essa não sou eu, eu sou o que quero ser, totalmente fora dos padrões de beleza, sou meio andrógina, gosto de roupa estilo anos 80 e com estampas diferentes como Simpsons ou animes, gosto de um coturno e um tenis de oncinha, um blazer com ombreiras, tatuagens e principalmente um cabelo só meu. Como falei, tenho 31 anos, mas tenho a idade que for preciso na hora que eu preciso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cidade do interior é sempre mais complicado, eu sei disso porque fui criada numa!
      Na verdade a gente acaba sendo bem mais versátil que as pessoas normais, a gente consegue se adaptar melhor às situações e usa a moda de maneira bem mais interessante!

      Excluir
  16. Tenho 31 anos e não consigo mudar meu estilo! muitos dizem que já estou velha pra ter cabelo azul e usar moda alternativa, mas eu amo! não me vejo usando roupas formais e cabelo básico. Felizmente minha profissão me permite usar o que eu quiser (sou cabeleireira e maquiadora). Não consigo me imaginar de outro jeito, não ligo para o que dizem me sinto bem do jeito que sou, tb sou feliz assim,é o que importa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que Maravilha Jacque! Quem sabe você não monte um blog com dicas de makes alternativas pra peles que estão ficando maduras. ;)

      Excluir
  17. Vou fazer coro com as meninas que já comentaram antes: "Me identifiquei muito com o seu texto"!

    Tenho 23 anos e gosto de moda alternativa desde os 13. Durante a minha adolescência eu fiz várias combinações de roupas, misturava um estilo com outro...Eu era bem 'curiosa', esteticamente falando. Quando se tem menos de 20 anos você ainda se sente "protegida" pelas regras (ou a falta delas) da sua faixa etária, afinal de contas "você é jovem, tem mais é que curtir mesmo!"

    Depois dos 20 você começa a se questionar e pensar se não está velha demais pra um estilo ou uma roupa. É algo que acabou me atingindo, sendo que antes eu batia o pé e dizia que nunca abriria mão das minhas roupas e continuaria usando o que eu bem entendesse até depois de velha (ah, essas revoltas juvenis...).

    Cada um sabe o que faz da própria vida, mas, sinceramente, eu acho muito triste essas pessoas de quase 30 anos (ou até mais) falarem que gostavam de se vestir de um jeito X, mas hoje já não podem fazer isso por causa da sociedade, da idade, do trabalho ou de qualquer outro motivo. Eu não queria ser mais uma dessas mulheres saudosistas que olham pras próprias fotos de 5/10 anos atrás e se lamentam por não serem mais o que eram, visualmente falando.

    Alguém aí em cima disse algo que eu achei interessante: Abrir mão do próprio estilo é como se você estivesse matando uma parte da sua essência e eu acredito nisso.

    E só compro/uso roupa social por obrigação ou pq a ocasião pede. A verdade é que eu me sinto sufocada dentro daqueles terninhos, blusinhas e saias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem isso, com 20 "a gente pode curtir" sob o apoio da sociedade, mas chega perto dos 27... iiiihh, aí já começam a te cobrar "maturidade".
      Sabe o que é curioso Nanasparks, quando eu penso nos meus 20 e poucos eu penso que eu deveria ter ousado muito mais (isso pq eu já era ousadinha hehe), porque mais velha, fiquei mais seletiva e tem look que usei com 20 e que hoje não usaria. Acho que as pessoas que resolvem matar suas essências (seja ela qual for) se tornam infelizes... =/
      Nossa nem fala em terninho e roupa social! Eu não consigo usar e quando uso me sinto um personagem! Mas existem peças sociais bonitas e que podem ser adaptadas.

      Excluir
  18. Lá no blog estamos quase todas entre os 29/30, temos uma mascote lá de 22 só rs. Eu com meus 30 posso dizer que já passei bastante pelo olhar critico das pessoas, mas confesso que não ligo muito pra isso, até mesmo no trabalho tive a sorte de me aceitarem nos meus empregos do jeito que eu era. Não me visto tão chamativa como era antes, mas ainda mantenho a mesma essência. Mudei um pouco porque amadureci e já não me sentia tão bem com aquelas roupas e não pela cobrança dos outros. Mas ainda sou alternativa e rocknroll, não só pelas roupas mas por tatuagens, piercings e pela atitude.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uia! Quer dizer que o Beauty Rock é comandado por meninas que estão perto dos 30! Muito interessante saber disso, hein!!
      Com certeza, atitude é fundamental!
      Bjs adoro o blog de vcs!!

      Excluir
  19. Olá Sana, tudo bem? Encontrei o blog agora, mas já lia o "moda de subculturas". Adorei esse post, eu também não conheço muitos blogs de adultos alternativos brasileiros, mais de gente da minha idade com 22 pra baixo, porém das minhas favoritas, posso considerá-las com muito estilo. Eu espero não ceder no resto da minha vida à pressão da sociedade de ter de se encaixar num padrão para poder viver e ganhar muito dinheiro. Estamos nessa vida para ser felizes como realmente somos!

    Parabéns pelo blog, desde já acompanhando! bloody kisses :*
    lilithstyleandbeauty.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mayara, que bom ver você aqui!! Sim, as meninas de 20 e poucos tem muito estilo, eu acompanho alguns blogs e tenho uns favoritos =D
      É isso aí! ;-D
      Bjs!

      Excluir
  20. Oi Sana, não sabia que vc tem um blog! Vou seguir <3 hehehe

    Olha, eu to chegando nos 26 anos e sinceramente só sinto que deveria ousar + uhahuahuahuauhahu eu to acostumada a separar roupa de trabalho e roupa que eu me sinta + a vontade (eu geralmente trabalhei em local que tinha uniforme, então desencanava) e eu confesso que não uso roupa de gente "+ velha" justamente pq eu tenho cara de pirralha e parece q roubei as roupas da minha mãe (sério, não queira me ver com uma saia lápis e blaser, é ridículo rs só provei 2x em lojas e resolvi não usar de jeito nenhum ^^'''''''''''') Eu não sei como vai ser o futuro, não sei sequer se vou continuar morando no Brasil, se vou vou pro Japão ou pro Canadá, mas por enqto eu me vejo utilizando estilo alternativo indeterminadamente. Talvez qdo eu for + velha (bota 35+) eu vá + pro aristocrat/classic na questão Lolita, mas de resto fica td igual, ao meu ver. Eu conheço algumas pessoas + velhas q se vestem no meio alternativo em Floripa e Joinville, mas elas/eles não possuem blogs. Eu sei que tem uma moça de 30 e muitos anos que sempre vai à caráter nas festas cyber e ela até ganhou um concurso de melhor outfit e sou mó fã dela, mas só conheço de vista uhahuahuahuahuhua

    Sempre qdo falam de pessoas + velhas alternativas q tem blog eu lembro da Kakao, aki no Brasil (q usa Lolita/Fairy Kei e td oq há de doce) e a Adora BatBrat q eu nunca imaginaria q ela jah tivesse 40 e algo (mas ela vive da img, ao q eu sei, pq ela é modelo).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tati! =D
      Eu ri muito quando vc escreveu que com 26 só sente que deve ousar mais! É tipo o que eu penso hahaha!
      Realmente uniforme por um lado facilita, porque põe todo mundo no mesmo nível. Aí a diferenciação fica nos acessórios (se a empresa permitir).
      Eu sei como é isso de não usar roupa de "mais velha" pq tem cara de pirralha, já vi meninas assim que se vestem por causa do emprego talvez (?) e fica uma coisa horrorosa. Causa estranhamento! Mas aí não é culpa delas, né? É da genética =P
      Agora cuidado que com 35 vc ainda vai ser novinha, ainda mais com essa carinha de baby!!
      Nossa que legal essa menina cyber que vc citou...
      Hmmm a Kakao... é verdade.... Quanto à Adora: sou fã, é minha musa inspiradora na questão de resistir bravamente! Ela na verdade é dona de casa (ela já fez piada com isso) que também é modelo (mas ela não vive $ de modelar), nestas vc vê que ser dona de casa tem lá suas vantagens! hahahaha!
      ;)
      Bjs!

      Excluir
  21. Eu tenho 28 anos e abandonei muitos elementos do estilo alternativo ao longo da vida. Hoje em dia tenho um visual considerado convencional, mas tento incluir sempre elementos da moda alternativa (o que, convenhamos, ficou mais fácil depois da apropriação de diversos deles pela moda mainstream), e não gosto quando não faço isso, sinto que não sou eu. E eu fico feliz pq as pessoas percebem que existe algo de diferente em mim por conta disso. Sou professora e meus alunos frequentemente me perguntam se eu gosto de rock e/ou heavy metal, por exemplo, mesmo eu estando de camisa, calça jeans e sapatilha. Percebem que eu não dificilmente uso estampas e cores claras, que eu uso muitas peças pretas, percebem os elementos alternativos na minha estética do dia a dia. Isso me tranquiliza um pouco. No momento tenho tentado buscar um equilíbrio e abandonar a "estética dupla", e acho que tenho conseguido, mas a crise sempre bate.

    Enfim, não sei se fui clara no meu relato. De resto, sou leitora do Moda de Subculturas já tem bastante tempo e admiro muito o seu trabalho =]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo! Ficou muito mais fácil conseguir roupas com referências alternativas depois que elas viraram mainstream, fora que estas versões amenizadas são toleradas pela sociedade em geral. Esse é o lado bom da massificação.
      Acho interessante isso de os alunos notarem (como uma outra moça comentou lá em cima) porque mostra que essas crianças/jovens já recebem referências e já começam a conseguir enxergar o "incomum" nos outros, no caso o fato de você não usar muitas cores e já associarem o preto com subculturas!
      Acho que foi clara sim! ^^
      Obrigada!! =D

      Excluir
  22. Oi Sana! Eu adorei esse post! Primeiro deixa eu comentar que sim, tu parece mais nova do que é (haha) e tu é linda demais, sou apaixonada pelo teu cabelo. Enfim, eu não conheço nenhum blog mais alternativo nessa faixa etária, não conhecia os que tu citou e já estou visitando. Acho realmente triste ver meninas mais novas abandonando seus estilos por causa de emprego ou pura pressão social. Até em ambientes formais é possível ter um estilo mais diferenciado, mesmo seguindo a linha da empresa. No Brasil as pessoas não encaram o alternativo muito bem, e realmente fica como um rótulo juvenil, o que é uma pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna!!
      É, todo mundo fala que eu pareço mais nova hahaa!
      É possível manter alguma coisa do estilo nos ambientes mais formais, ainda mais que hoje a moda alternativa já tá no mainsteam, dá pra usar um sapato, um acessório... a não ser é claro que a pessoa trabalhe num ambiente muito regrado.
      É... não encaram mesmo, em uma parte temos culpa (por não insistirmos) e em outra parte temos as "convenções sociais" que insistem em dizer que isso é coisa juvenil e as pessoas simplesmente aceitam isso sem discordar!
      Bjs! ^^

      Excluir
  23. Oi, Sana! Que post maravilhoso!
    Acho que todo mundo que tem um estilo alternativo já passou por esses questionamentos e é bem relevante ver até onde seu estilo pode ser exposto explicitamente e onde devemos suprimi-lo um pouco. Ainda faço parte da faixa etária dos 21, mas já trabalho há 2 anos e meio (em um ambiente formal) e consigo manter o meu estilo apesar das pressões sociais e do trabalho. Tenho que usar um estilo de roupas mais social, mas uso também meus piercings, lápis de olho/ delineador pra vir ao trabalho e apesar do estramento inicial dos meus colegas de trabalho ou chefes por isso, nunca bati de frente com ninguém. Faço o meu trabalho da melhor forma que posso e tento conciliar meu estilo alternativo com o ambiente que trabalho. Hoje, me considero querida pelos meus colegas de trabalho, mesmo eles tendo estilos bem diferentes do meu. O negócio é tentar se fazer conhecer pelo caráter, personalidade e trabalho no 'mundo adulto' e, a não ser que você lide diretamente com 'o público', seu estilo não vai lhe causar problemas, porque ele só será uma extensão de você, não você.
    Beijim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é! Trabalho é mundo à parte, se até pessoas "normais^ tem roupa pra trabalho, que dirá os alternativos!
      Só sinto falta de pessoas adultas alternativas que mantenham seus estilos alternativos FORA do emprego. Ao menos as pessoas que são da minha faixa etária e que convivi/estudei, largaram o estilo, embora algumas continuem ouvindo rock, por exemplo, já não demonstram isso visualmente. E por isso talvez exista esse "buraco" de blogs escritos por alternativas adultos... =/

      Excluir
  24. Eu tenho 22 anos, mas já sou casada, mãe de 2 filhos e pra piorar sou professora, a profissão mais conservadora do mundo! Eu tento deixar minhas impressões de mundo pros meus alunos (mesmo sendo pequeninos), mas com certas coisas preciso tomar cuidado, pois algumas pessoas não concordam, mentes fechadas,sabe?
    A grande maioria da galera que eu andava junto quando mais nova deixou de lado o alternativo, e eu continuo aqui, do mesmo jeitinho que sempre fui, só que com mais responsabilidade.
    É muito triste saber que as pessoas AMAM julgar pela aparência,antes mesmo de te conhecer. Recentemente já me chamaram de "boneca Emilia" só pq fui trabalhar com um batom vermelho (coisa mais normal do mundo hj em dia), uma tonta adorava me chamar de "roqueirinha"...
    Para essas pessoas ser mãe e adulta te impede de fzr certas coisas, e aqui em casa não concordamos com isso. O bom é que essa juventude que a alma conserva se reflete na aparência,sabia? Meu marido tem 33 anos, e parece que tem 23! Ele não se curvou como tantos homens fazem, ele é patinador (pula corrimão, escadarias enormes, é um doido! kkk) e acha um absurdo caras de 30 anos que agem como velhos, reclamam de tudo. Cara, viver é bom demais! O povo adora complicar.
    O foda é q sendo assim nem sempre conseguimos ter amizades com mesmos gostos. Às vezes eu acho que me tornei anti social, sabe? Mas o que acontece é que eu não tenho mais paciência pra ficar ouvindo absurdos de pessoas limitadas...E nem adianta vc querer argumentar! A galera ainda quer bater boca, e bater em vc! kkkkkk
    Eu tenho que tirar um tempinho e procurar nas leis e regulamentos das escolas do município onde eu trampo se tem algo que me impeça de pintar meu cabelo de azul. Se não achar, vou fazê-lo, e ensinar para os meus alunos que o mundo não se resume a ouvir sertanejo e funk e ser loira, e que ser diferente faz parte da vida, se td fosse igual a vida seria mais chata do que já é!
    Maravilhoso texto,Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Novinha e já tem uma vida super vivida! =D
      Olha, tem uma ou duas moças que comentaram acima que são professoras e também a Helena do blog Aliena Gratia, você pode conversar com elas e ver como elas lidam com a estética alternativa na sala de aula. ^_^
      Particularmente acho que um dos argumentos que vc poderia usar é o preconceito, pois ser alternativo também é parte da diversidade cultural e estética e é bom as crianças aprenderem a respeitar as diferenças desde cedo pra serem pessoas mais sensatas e sem preconceito.
      Seu marido parece ser da mesma geração que eu! Preservamos a tal da "juventude na alma" e essa é a melhor coisa que se pode fazer, porque ao menos eu, me sinto bem mais leve e encaro a vida de forma bem mais sossegada do que amigos da mesma faixa etária mas que a alma envelheceu! No fim das contas, ter alma jovem tb faz bem pra saúde!
      Essa coisa de ter 30 anos e "sossegar" como diz a sociedade, é um atraso! Eu vejo pessoas nessa idade deixando de fazer coisas que considero legais porque se acham velhas. Eles mesmos boicotam novas experiências!
      Não sei se me tornei anti-social - acho que por um tempo quando eu ainda estava captando as mudanças e ainda não as entendia 100% - mas eu fiquei mais seletiva com as pessoas! Acabo tendo amigos mais novos que eu pq pessoas da minha idade estão com outra mentalidade.

      Excluir
  25. A questão, acredito, é encontrar um ponto de equilíbrio, ou uma maneira de ocupar o próprio lugar mas sem choque, ou confronto.

    Me lembro do meu primeiro emprego, num laboratório de revelação fotográfica. Os donos eram um casal idoso, católicos, mais tradicionais impossíveis! Realmente eu não poderia ter aparecido como eu costumo andar - me visto basicamente como uma versão feminina do Till Lindemann do Rammstein, pra terem uma ideia - mas não deixei de aparecer toda de preto. Não seria verdadeiro da minha parte aparecer vestida de qualquer outra cor, mas também não precisava já chegar da maneira como eu me visto, até porque eu vejo que assusta muita gente.

    Fui admitida imediatamente após a entrevista, gostaram muito de mim. Com o tempo, aos poucos, e à medida que iam conhecendo meu caráter e a minha competência, fui adicionando à minha vestimenta de trabalho os elementos do meu estilo...até finalmente me vestir como eu realmente gosto. E foi muito tranquilo, sempre que ouvi algum comentário foi sempre elogioso ao fato de eu ser "estilosa", ou "queria eu ter coragem de usar suspensórios!", alguém perguntando onde que eu tinha comprado meus coturnos, coisas assim.

    Mas acho que fazer o contrário - querer mostrar competência DEPOIS de já ter assustado as pessoas com o estilo alternativo (nem sempre é a intenção, mas convenhamos, queiramos ou não ainda é algo visto como "assustador"!), seria bem mais complicado, e um desperdício de energia.

    E como outras moças já comentaram, a massificação do estilo alternativo vem justamente a nosso favor. Tem gente que acha ruim, mas é aquilo...nós continuamos a não nos render ao mainstream, o mainstream é que tem se rendido ao nosso estilo!

    Parabéns pelo blog, tenho 27 anos e é bem o que eu procurava! Seguindo agora :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Karen! A questão de amenizar roupa e estilo pra emprego não me incomoda, isso é necessário se não quisermos viver do/no underground, segregados.
      Mas sinto falta de pessoas (de 30 anos pra cima) tendo blogs e dando dicas de maquiagem pra esta pele mais madura e falando de seus estilos e coisas que gosta e etc!
      Sim, mostrar competência depois de assustar as pessoas seria complicado, porque há o pré julgamento e o preconceito com aparências não convencionais...
      Obrigada pelo elogio ao blog!! ;-)

      Excluir
  26. Entendo como vc se sente tenho 25 e ja sofro pressão (e é pq hj em dia ja tenho uma aparência bem menos chocante), e é que trabalho com design um ramo que também ñ deveriam ligar tanto para a forma que me visto, mas o que tenho observado é que cada vez mais as pessoas tentam me pressionar falando que a maneira que me visto é infantil e que eu deveria passar uma imagem mais adulta e madura.
    Nos últimos anos diminui mt minha forma alternativa de ser, hoje em dia me arrependo um pouco disso e tento reverter a situação.
    Não acredito que a ausência de blogs de pessoas acima dos 27 seja devido a pessoas com essa idade ñ quererem se expor na web, pois vejo blogs e vlogs de mulheres mais velhas q falam sobre a moda "normal".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, tomara que vc consiga reverter um pouco a situação!
      hmmm eu vc me fez pensar... será que a ausência de blogs não se dá pq estas pessoas se acham desinteressantes por não serem mais "jovens"? Mas claro cada um deve ter seus motivos...
      E isso que falou é bem verdade, tá tendo um boom de blogs de mulheres acima de 40 na cena mainstream lá fora, por exemplo...

      Excluir
  27. Querida Sana, muito legal seu blog!!! Sobre este assunto: bom.... tenho hoje 39 anos, estou gravida de 4 meses, meu primeiro filho, uso preto (que eu adoro), coturno e moda alternativa no trabalho quase todo dia, sou contadora, não costumo ter problemas, a empresa que trabalho me tolera hehehehe!! Escondo minhas tattoos, sempre isto sim, algumas perguntas tipo: quantas você tem, porque fez, quando fez as vezes me incomodam... Costumo pintar as pontas do meu longo cabelo de verde, azul, laranja ou amarelo mesmo, dou umas desculpas quando alguém me pergunta algo e mando catar coquinho para quem não gosta, mas deve ser por causa da minha personalidade forte, poucos se atrevem a falar alguma coisa, acho que minha cara assusta!! Sinto muita muita falta de blogs alternativos femininos com uma faixa etária maior que 21, 22 ou até 25 anos, acho mesmo que devem existir por ai muitas quarentonas que assim como eu amam moda e mantem o estilo até hoje!!! Até já tentei usar uma roupinha + "normal" , mas.... cara não consigo enganar ninguém mesmo, tá na minha cara, tá no meu sangue.... tatuado na alma. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa que empresa boa essa que tolera seu estilo diferenciado! =D
      Ah, acho que existe um pessoal mais velho por aí mas a maioria dos blogs é mesmo de meninas novas! Usar roupa normal ninguém merece né? hahaaha
      Bjs!!

      Excluir
  28. Olá, Sana!! Estou adorando encontrar pessoas numa situação parecida com a minha. Tenho passado por estes mesmos dilemas, tenho 25 anos, acabei de me formar e hoje trabalho em uma clínica (sou profissional de saúde). Só que só assumi o estilo alternativo aos 24!! Sempre admirei a estética, mas por pressão de ser aceita em determinados meios acabei suprimindo meu estilo verdadeiro. Tenho metade do cabelo em vermelho fantasia, adoro minhas roupas pretas e meus coturnos. E eu tenho também uma estética dupla. As roupas do dia a dia, de trabalhar, e as roupas de sair, ir a shows, etc. Porém, mesmo assim, arrumo um jeito de colocar minha marca no que uso pra trabalhar rsrs... Recebo muitas críticas, dizendo que estou passando por uma adolescência tardia. Discordo totalmente disso. O fato de eu adotar o estilo alternativo não significa que eu não me comporte como adulta. Sou formada, trabalho e pago minhas contas (roupas, coturnos e tinta do cabelo também). Tenho buscado na internet blogs de adultas alternativas também, gosto de buscar referências, dividir experiências, conhecer o que as outras pessoas na mesma situação que eu pensam a respeito. Vejo que encontrei mais uma referência! Já está salvo nos meus favoritos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que conseguiu se libertar aos 24!! Antes tarde do que viver reprimida!!
      É um pensamento ultrapassado este de adolescência tardia, já que não somos imaturos, somos responsáveis e independentes, é nosso estilo de vida mesmo.
      Obrigada por curtir o blog!!
      Bjs!

      Excluir
  29. Eu ainda nao senti esse conflito de idade X estilo, pois tenho 21 anos, mas um dia chegarei aos 27, 30, 40..ai talvez eu passe por isso tbm. Digo talvez porq nao moro no Brasil: moro na Noruega, e aqui as pessoas tem a mente mais aberta pra essa questao de aparencia..nao ha tanto preconceito, nao importando a idade.

    Acho que um otimo exemplo de pessoa mais madura que nao perde a jovialidade eh meu marido: ele tem 42 anos, toca guitarra em 2 bandas, e ta no mundo do metal desde adolescente. Tem tatuagens, mantem o cabelo longo, se veste em estilo "rock'n'roll" e eh feliz assim (sem sofrer nenhum tipo de pressao da sociedade). Acho q o negocio eh a gente nao se deixar envelhecer por dentro.

    Sobre blogs brasileiros, eu nao conheco/sigo mts. Mas como exemplo posso citar o "Die in P!nk" (Lindsay Woods), "Nay Firens", "Beauty and Brains" (Daniele Corpse)...mas sao meninas que, como eu, estao abaixo dos 25 anos.
    Com o tempo mts meninas deixam de ser "alternativas", principalmente por causa de preconceito, trabalho, etc... Ou algumas (as que escrevem blogs) cansam de manter o blog, criar postagens, escrever, tirar e editar fotos... (A Daniele Corpse por exemplo nao posta nada desde janeiro, mas nao sei porq...)

    Mas acho q o estilo de se vestir pode mudar, mas a personalidade continua a mesma. As vezes a pessoa realmente nao tem escolha, imagina uma advogada indo pro escritorio trabalhar todo dia de coturno, corset, cabelo roxo....impossivel, ela com certeza seria chamada a atencao, seria demitida, ou nem teria conseguido a vaga pra trabalhar lah.. Mas ser obrigada a mudar por causa da sociedade nao significa que ela deixou de ser a mesma por dentro.

    Eu tbm tenho um blog, mas escrevo em ingles. Quem quiser visitar: http://lectergirl.blogspot.no/ :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, vc é novinha =D
      Admiro muito países que respeitam a individualidade das pessoas, aqui ainda temos um longo caminho, somos muito julgados =/
      O estilo muda sim, eu mesma tive várias fases dentro do alternativo, agora já estou partindo pra outra rsrss!! Já comecei a acompanhar seu blog, volto lá em breve =D

      Excluir
  30. Tem o meu, mas estou escrevendo mais sobre politica e feminismo que sobre Vida Alternativa. Pretendo começar a mudar um pouco isso. Seja bem-vinda: www.covildamedusa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  31. Nossa, eu me senti totalmente abraçada por esse post! hahaha
    Logo que terminei a escola, com 18 anos entrei na faculdade de moda, e no fim do mesmo ano, passei num concurso público e comecei a trabalhar como secretária numa escola, atendendo as pessoas e realizando serviços administrativos.
    No dia que fui tomar posse do cargo, senti os olhares e o clima que a minha presença gerou no local (eu tinha cabelo roxo, piercing e estava com um vestido preto retrô). Já estou nesse emprego há 2 anos completos, e o que aprendi nesse tempo trabalhando num lugar "careta" e que só tem pessoas que não tem nada a ver comigo (com exceção leve da professora de artes hahaha) é que não depende da idade.
    Em qualquer emprego, se vc é alternativo sempre vão te olhar estranho até se acostumarem e perceberem que vc é capaz e que talvez, uma pessoa que pensa nas coisas de forma "geral" ou "óbvia" não realizaria as coisas da mesma forma que vc, porque ter essa vontade de querer fazer as coisas diferente também conta muito, pelo menos sinto isso em mim. Li uma frase que dizia: "a verdadeira rebeldia está em fazer tudo que não esperam de você" e acho muito inspiradora, pois tendem a achar que eu sou sempre infantil e maluca em tudo pelo visual, o que não se encaixaria num serviço como o meu.
    Outra coisa que queria falar, é que eu já to vivendo essas crises que as meninas alternativas vivem em torno dos 30, justamente pelo trabalho e pela faculdade, tudo é tão sóbrio que eu quase morro de tédio e de vontade de ver as pessoas se expressando de maneira mais criativa no que vestem, mas por outro lado, acho que a vida seria mais fácil se eu fosse como elas.. aí entra a questão da infelicidade e eu volto pras "alternatividades", porque quando a gente é, não dá, nem adianta tentar mudar. Não é só o aspecto físico, é em tudo, e acho que resistir a pressão da sociedade é importante, é uma vitória pessoal, mudar se quiser, não mudar se não quiser.
    Eu amo brechós e ficar inventando estilo que não existe, misturando tudo... isso parece o limbo do alternativo, nunca acho amigos assim, é uma pena.
    Beijos! Eu amo seus blogs mais do que todos os outros! haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é novinha Loly, mas já vive no ambiente corporativo. Que bom que o post foi útil pra você.
      Como você é nova, tem a imensa vantagem de ainda poder ousar nos seus looks de lazer sem ser muito julgada. À medida que fica-se mais velha, as cobranças por suas roupas de momentos de lazer aparecem, o que é uma chateação.
      Pode crer em mim, as crises e julgamentos que se vive aos 20 anos não são iguais às dos 30. As que você tá vivendo hoje são muitas vezes inferiores às que você vai ter aos 30. Quando novas a gente acha que tudo é muito "pressionante" mas não é. Depois dos 30 é que a pressão vem, por isso me interesso e aprecio referências de mulheres nesta faixa ettária que já passaram do retorno de saturno e que decidiram se manterem alternativas.
      Sim, ainda existe muito preconceito com alternativos em ambientes de trabalho, sempre um julgamento de ser imaturo, incapaz ou juvenil demais. Ser rebelde é justamente a frase que você citou, sair do padrão! Vivemos isso na pele,né?

      Excluir
  32. Olá tudo bem? Sou enfermeira, coordenadora em uma instituição que abraça meus bebelos coloridos. Infelizmente moro em uma cidade onde adoram me olhar torto pelas cores... Semana rosa, outra roxo, outra branco... Bom, no auge dos meus 31 estava me perguntando de valia a pena, uma vez que não aguento mais certas resistências por causa do meu estilo. Mas ler seu desabafo, me fez sentir parte de algo que imaginava que só eu passava. Você clareou minha mente e organizou meus pensamentos. Valeu mesmo! E sim, permanecerei colorida, somos diferentes e temos que lutar pelos pequenos detalhes!

    ResponderExcluir
  33. Que post lindo! Realmente, é triste saber que as pessoas, ao chegar a uma certa idade, tendem a abandonar o mundo alternativo. Eu tenho 18 anos ainda e já imagino como deve ser chegar a esta fase em que o trabalho torna-se o foco da sua vida. E não me parece uma tarefa fácil, até mesmo para quem tem muita personalidade, como você.

    Eu acredito que essas pessoas que abandonam por conta da idade ou fazer por pura pressão da sociedade ou por não gostar mesmo e ter se vestido daquela forma porque foi apenas uma "fase" em sua vida, isto é, esta pessoa não era "alternativa mesmo" ela só queria ser um pouco rebelde e pronto.

    Eu não sei se expliquei direito, acho que você entendeu.

    Fico pensando assim: se a gente não quebrar os padrões, quem quebrará? Só a gente mesmo que tem que seguir em frente e de cabeça erguida, e valorize-se pois talvez seja agora que começa a vanguarda dos cabelos coloridos. Assim como a vanguarda da valorização dos cabelos crespos e cacheados.

    Tomar a frente de algo que ainda é "ameaçador" ou "estranho" para grande parte da população é para poucos. E é o que você está fazendo, orgulhe-se! <3

    Não deixe de ser quem você é por causa dos outros. É besteira. Ame do jeito que você realmente é. :3


    Beijos!



    madessy.coom

    ResponderExcluir
  34. Oi Madaha,
    É triste mesmo,mas infelizmente as vezes,a gente tem que se submeter a essas coisas e se anular por um tempo.Eu sou negra,gorda,gosto de piercing,tatuagem e de mudar o corte de cabelo.Me formei em odontologia,durante a faculdade e depois de formada tive que me comportar (as pessoas,principalmente a minha família) acham que sou doida,possuída pelo demônio,por gostar dessas coisas e de ficar introspectiva(em silêncio).São pessoas que acham que só o modo de vida deles é que está certo.Hoje aos 40 anos completados ano passado,desempregada,desanimada com a profissão e querendo mudar de vida,resolví chutar o pau da barraca,coloquei piercing no nariz,e não faço mais as vontades de ninguém.Estou sofrendo por isso,afinal tenho que aguentar a cara e ouvir a desaprovação deles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois continue assim! Faça o que gosta e será muito feliz! Não deixe-se levar pela opinião dos outros, deixam lhe dizer o que quiserem, o problema não está em você e sim neles. Eu sofria muito por conta disso, as pessoas acham que eu por ser negra não posso ser alternativa, ter cabelo colorido e o pior: ser gótica. É algo que eu me bato todos os dias, enfrento muito preconceito de todos os lados, mas eu não vou deixar de ser quem eu sou por ninguém.

      Beijos!!!

      madessy.com

      Excluir
  35. Me identifiquei com sua postagem, eu tenho 26 anos, e gosto desse estilo alternativo, mas por conta de trabalho acabei abandonando um pouco e optando por usar roupas mais casuais e menos alternativas até porque onde moro é interior e sempre tem aquelas pessoas que acham que só porque você é alternativo você é satanista, mau trabalhador e demais "qualidades" que eles costumam nomear.
    Infelizmente o preconceito reina no nosso universo, as pessoas veem as meninas novinhas e falam "é uma fase, vai passar" mas quando nos tornamos adultas, temos que rever alguns conceitos para poder viver bem em sociedade (como o fato das roupas por exemplo).

    www.memoriasdeumaguerreira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  36. Adorei seu post, super me identifiquei! Mulher, 27 anos, e sempre terei este jeitinho fora do padrão de ser. Sou/adoro.

    Estou a pouquíssimo tempo com um blog, ao fazer achei que seria libertador e sim esta sendo! =D

    http://sahstos.wix.com/pshardgirl

    ResponderExcluir
  37. Ja adorei esse blog, essa frase na apresentação "Aqui não tem look do dia" ja deixa bem claro que esse não é mais um blog de coisas fúteis com conteúdo repetitivo e sem criatividades que tem aos milhares.E sim assuntos inspiradores sobre coisas que realmente queremos saber, magnifico!!

    ResponderExcluir

Obrigada pela interação. Os comentários serão respondidos aqui mesmo ^-^