Nunca fui uma princesa Disney.

Ilustração de Errol Le Cain

Lembro de quando criança assistir Branca de Neve e ficar o tempo todo olhando pra trás no cinema. Ela me entediava.  Mas eu adorava a roupa dela!

Lembro que minha mãe assinava revistas Disney (e também as da Turma da Mônica e da Luluzinha) para que eu aprendesse a ler rapidamente e me divertindo. Quando as revistas chegavam, eu folheava as páginas e ia direto pras histórias da Maga Patalógica e da Madame Mim. Ou então as da Margarida! Adorava a Margarida (ainda adoro), ela tinha atitude, era engraçada e não era uma mocinha passiva...

Eu gostava da Princesa Aurora, a Bela Adormecida! Numa das revistas Disney, o castelo da Bruxa era tão lindo, mas tão lindo, num abismo cercado de espinhos que eu achava aquilo aterrorizante e fascinante.

Como adorava Contos de Fadas, um dia meus pais me presentearam com uma coleção de livros dos Contos de Grimm e Contos de Andersen e percebi que eles (Grimm) eram os reais autores da Bela Adormecida, da Branca de Neve, assim como da Rapunzel. Algumas histórias destes autores eram bem soturnas, mas talvez tenha sido bom pra mim, porque Contos de Fadas não eram somente finais felizes. Podiam ser reflexivos.  

Minha mãe me dizia "todas as mulheres são bruxas" - quando ela dizia isso, era porque as mulheres entendiam o ciclo da vida, tinham ligação coma natureza. Mas uma vez alguém me disse que nem todas as fadas eram boas. E, quando mais velha, li um pouco sobre fadas irlandesas, diziam que elas habitavam lugares escuros...


Não sei se um dia serei uma princesa Disney. Talvez o imaginário de Grimm tenha ficado muito forte em mim. E não apenas isso, as ilustrações dos meus livros (ainda os tenho) são tão ricas - ilustrados por Beverlie Manson e Errol Le Cain!! - que marcaram a minha mente de criança. Aquele mundo fantástico, surreal e colorido...

Acho que sou uma princesa de outros contos de fadas, de outros autores, de outros ilustradores, de outro mundo...
 
 

 As fotos do post são ilustrações de Beverlie Manson e Errol Le Cain. São riquíssimas ilustrações para a mente de uma criança...



"Muitos artistas do gênero já chegaram a idade avançada, muitos faleceram, outros por conta dos abusos cometidos na juventude não são mais os mesmos, outros parecem ter parado no tempo e usam o mesmo estilo e possuem os mesmos pensamentos a décadas. Outros com a crise de meia idade, recorrem a procedimentos estéticos muitas vezes duvidosos para que o tempo congele. Parece ser uma descrição que se limita apenas a artistas, mas todo mundo conhece uma pessoa ou outra que de longe não é uma estrela do rock, mas que está no mesmo patamar que os rockstars, uns mais e outros menos... Pensando nisso, esse projeto sugere mais uma reflexão: Será que aos poucos esse estilo de vida pode se dissolver por não se reinventar?
Será que o rock envelheceu ou os padrões antiquados e que não acompanham essa nova geração, faz com que tudo pareça tão obsoleto e careta? É uma coisa para pensar e queremos que saber a opinião de vocês nesse projeto!"


Bom, a data deste Projeto era ontem, mas não deu mesmo pra revisar e publicar. Eu queria muito participar então, aqui está! :D

Vocês sabem que o Rock engloba muuuuito estilos né? Então, vou generalizar. Quem quiser pegar um ponto ou um estilo específico pra debater, faça nos comentários.


Em termos de música: Bom, pra  mim o rock não morreu e se reinventa todo dia. 
Basta dar uma olhada na quantidade de bandas novas que surgem com sons novos, novos estilos, novas misturas, novos visuais. O que acontece, na minha opinião, é que muitas pessoas julgam o rock pelo que tá rolando no mainstream. A pessoa não escuta rock no rádio ou na TV e pensa que não existe mais o estilo. É um erro medir o rock assim porque rock tem aquele pé na rebeldia e contestação e o mainstream prefere divulgar bandas machistas, misóginas, mulheres lindas e no padrão de beleza porque assim eles mantém a gente dentro do controlezinho de consumo de um estilo de vida...
Se você quiser ver como o rock se reinventa sempre, basta dar uma olhada (ou ida) ao underground. Aliás, o Rock in Rio mostrou alguns exemplos de bandas nacionais com estilo próprio (Project 46 + John Wayne - viram o visual caindo pro street/sport do vocal??) e também a banda Royal Blood que é só baixo, bateria e vocal: se esses não são exemplos claros de reinvenção, então não sei o que são...


Em termos de artistas do rock:
O rock é um estilo muito juvenil. Joan Jett este ano, num evento, disse que o Rock torna os roqueiros eternos adolescentes. Quando ela diz isso, ela quer dizer que os roqueiros mantém pra toda vida o questionamento, a contestação da sociedade. Coisa que as pessoas "normais" perdem quando "se tornam adultos" e se acomodam.
Roqueiros não se acomodam.
Claro que alguns levam a juventude pro literal, fazendo plásticas rejuvenescedoras, mas acho que isso tem a ver tanto com a cultura de um país (alguns países pregam mais a juventude do que outros) quanto com pressões comerciais e gosto/auto estima.

Aqui, eu abro dois tipos de opinão:
A questão da grana: Alguns artistas (e também pessoas) encaretaram porque mudaram de classe social (estão ricos) e com isso adquire-se privilégios que eles não querem perder. Aqueles caras que na juventude contestavam porque eram pobres e à margem da sociedade, com o rock, enriqueceram e hoje são parte da elite social. Encaretaram porque o que eles queriam conquistar - uma melhora de vida - já foi conquistado. E vivem o Rock por diversão.
Cazuza fala disso em Ideologia: "aquele garoto que ia mudar o mundo Frequenta agora As festas do "Grand Monde"// aquele garoto Que ia mudar o mundo Agora assiste a tudo Em cima do muro".
E pra mim é isso, essas pessoas perderam suas ideologias, talvez porque já as tenham conquistado...

Se você questiona, se revolta por ser somente vítima do sistema pode acontecer de, quando você ter acesso à outra classe social mais elevada, seus questionamentos cessem porque você será parte dos privilegiados. Agora que adquiriu os privilégios, vai se revoltar com o quê? Vai querer perder/dividir os privilégios? O contrário, se tornará conservador para não perdê-los...

Acredito que muitos rockeiros enfrentem dilemas sobre se encaixar ou não socialmente quando tem filhos - acho que esse é o principal ponto de mudança de visão de mundo na vida destas pessoas: criar um filho. E pra criar um filho, será preciso seguir, certas regras sociais (aquelas que tanto se lutou contra). E é aqui que muitos roqueiros ou encaretam pra criar cidadãos "corretos" ou tentam, com adaptações, criar filhos dentro do sistema, mas educando de forma a serem questionadores. O documentário Pais e Punks fala disso.

Em contrapartida: Pra alguns roqueiros o questionamento - ou rebeldia - é muito mais uma questão de personalidade do que de idade ou classe social. O foco deles não é enriquecer, pois mesmo ricos, eles mantém suas ideologias e não se importam de compartilhar com os outros seus privilégios adquiridos.
Se a sua sua real essência é o questionamento, se você não tá no rock pra enriquecer ou "catar mulher", você vai questionar independente de estar pobre ou rico, famoso ou anônimo. Sim, é possível ser rico e questionador, há vários artistas assim (Ed Vedder do Pearl Jam, Patti Smith, Kim Gordon...).
Porque o questionamento não é somente uma rebeldia, é uma atitude da alma (ou mente), tem a ver com não ser um cidadão passivo que aceita tudo que a TV, o jornal, a política quer te impor como regra de vida.


Em termos pessoais:
Pra mim o rock não envelhece, o que envelhece são as pessoas rsrs! Fisicamente, e não mentalmente.
Praticamente repito o que disse acima:   Se a sua sua real essência é o questionamento, você vai questionar independente do rock estar "na moda" ou não. Uma coisa que o rock te dá é a liberdade de você ser como você quiser! Isso é uma coisa que a sociedade finge que te dá, porque na verdade ela quer te vender produtos.

Eu acho que o rock se reinventa todo dia, a questão é que algumas pessoas não aceitam o novo seja por choque de gerações, seja porque é algo "diferente" do que eles "aprenderam" como sendo Rock. Um exemplo é a turma que até hoje não aceita o nu metal. E quando foi dita aquela famosa frase do Manowar "morte ao falso metal", ela se dirigia à tudo que não fosse Trad Metal. E virou uma gozação, porque né? ... praticamente prega que o rock/metal não deveria evoluir e que todos nós deveríamos ouvir apenas Trad!

À medida que a sociedade e as pessoas mudam, o rock também vai mudar porque é uma subcultura muito ligada à questões sociais.

Um exemplo ótimo de roqueiro que mesmo tendo subido na vida é questionador por essência, é Corey Taylor. Na verdade, essa frase dele que li essa semana, responderia perfeitamente esse Projeto.
Ele fala praticamente o mesmo que eu, mas sob outro ângulo: que o mainstream despreza o rock porque o rock questiona e prefere "vender" um estilo de som e de vida que eles podem controlar. E no fim, ele fala da reinvenção do Rock.


"O motivo pelo qual o mundo corporativo e o mundo pop não suportam o Metal é porque eles não podem usar a nossa música para vender coisas. Eles não conseguem usar a nossa música pra vender seguros de carro, hambúrgueres ou refrigerantes. Então eles falam mal da gente, eles nos desprezam, e nem nos reconhecem em premiações. Mas o fato que nós não precisamos deles, deixa eles tão putos, que eles ficam loucos de raiva que nós conseguimos ser headliners de grandes festivais e promover as nossas coisas sem precisar da ajuda deles. Isso deixa eles absolutamente com muita raiva da gente. E quer saber? Fodam-se eles, se eles não nos entendem! Se eles não querem nos ajudar a manter a nossa música viva, eles que se fodam! Nós vamos seguir fazendo nossa música com ou sem eles. E isso deixa eles loucos. Dá pra sentir que o Heavy Metal e o Rock N’ Roll estão voltando com força total. Dá pra sentir isso nas ruas. Cada vez mais forte. E isso deixa eles loucos de raiva.  Eu não tenho problema com a música pop em geral. Eu adoro a música pop dos anos 80. Mas a música pop atual é escrita pelas mesmas 5 ou 6 pessoas, e por isso todas as músicas soam exatamente iguais, todas elas falam exatamente a mesma coisa, essa merda de amor pra cá e pra lá. E tudo é acertado digitalmente, auto-tune, e tudo é processado e enlatado. Não tem vida. Não tem alma. E eu me pergunto “é isso que as pessoas ouvem hoje? Esse é o som pop de hoje em dia?”. E é tão “Disney” que é um insulto, pra ser sincero. E é por isso que muitas pessoas estão indo na direção do Heavy Metal e do Rock N’ Roll de novo. Porque elas estão cansadas da mesma merda, de novo, e de novo, e de novo. Chega. E ponto final.  Eu acho que o futuro do Metal é muito promissor. O Heavy Metal pode se adaptar e adquirir diversas formas. Musicalmente, o Metal incorpora tantos elementos distintos que você pode pegar uma coisa aqui e outra ali e montar o seu próprio estilo e é assim que a música se perpetua e continua e se expande e evolui."



Blogs Participantes:
Cinderela Smile
Femme Toillet
Lady Dark´s
Corey Taylor participou do Projeto também! Um viva pra ele! :D



Essa Tag é indicação do blog da Jaque, o 4sphyxi4. Ela disse que quem quisesse podia responder e cá estou (demorei!!) pra ver se me animo a dar um up neste blog.

Lendo as perguntas e as respostas das meninas que participaram dessa Tag, achei as minhas respostas bem diferente das delas. Eu viajei legal nas respostas, afinal, são perguntas hipotéticas, então eu também dei respostas hipotéticas! Mas eu imagino que vai ter alguém que não vai entender que são hipotéticas e criticar, sempre tem...

O que seria da cultura alternativa se a gente não brincasse com o conceito de corpo? 
Tem gente que adora ser como nasceu, como as meninas que li as respostas, mas eu gosto de me mudar a cada fase que tenho na vida. Acho que mereço me tornar a "pessoa" que quiser através da aparência! Gosto de brincar com moda, com arte!

Tem quem tinge cabelo de colorido, quem se tatua, quem faz tight lacing... a história nos mostra que o desejo de modificação da aparência é do homem e não há nada de errado com isso.
E querer se mudar não tem necessariamente a ver com falta de auto estima e falta de auto aceitação e sim, expressar quem você se sente realmente por dentro! E pra isso precisa-se ter auto estima!

Que diríamos daquela subcultura japonesa que escurece a pele pra se assemelharem ao negros? Ou das meninas que viram bonecas? E o que seria da Elke Maravilha sem suas perucas inspiradas em cabelos dreads - ela sempre declarou que não curte seu cabelo louro!

Então, achei isso legal na tag, a oportunidade de dizer que assim como essas pessoas citadas, eu desejaria sim coisas diferentes, pra criar a pessoa que quero ser. Eu não seria eu se não quisesse me mudar o tempo todo e talvez por isso mesmo eu tenha me interessado por arte, moda e história - porque me ensinaram que o ser humano sempre brincou com estéticas e que isso é super!

Gosto dessa imagem, acho que tem a ver com "como nasci/fui criada" e como eu me enxergava/queria ser. 

01.Você gosta de seu nome ou mudaria?
Sempre tive problemas na escola com meus nomes, ninguém sabia pronunciar corretamente. Aí fico pensando... pô, se me tivessem dado os nomes de "Ana" ou "Maria", minha vida seria BEM mais fácil. kkkkk Por que os pais complicam nossas vidas com nomes incomuns??
Descobri há pouco tempo que a lei brasileira permite que um cidadão troque de nome entre os 17 para os 18 anos. Passou disso, só na justiça.
"Sana" é um nome comum especialmente na Índia e no Oriente Médio. Tem origem persa/árabe e significa "a brilhante", "a aurora do dia", "o amanhecer", "esplendor", "radiante". Deriva de Rossana, Roxana, Roxanne... e ficou mais popular a partir do século XVIII.

02. Gostaria de ser mais velha ou mais nova?
Eu tenho paixão por cultura juvenil!! Não à toa tenho esse interesse no estudo de culturas de juventude/subculturas.
Eu adoro conversar com jovens especialmente pré adolescentes e adolescentes, seja de qual classe social for ou qual estilo. Sou fascinada pela forma como eles "entendem" o mundo e como se expressam nesta idade.
 
Queria ser mais nova, até quando eu era nova! Mas veja bem, isso não tem nada a ver com negar ou não aceitar a idade que tenho. Até porque tempo não volta e - modéstia à parte - eu acho que estou até bem pra uma balzaca! A pergunta é hipotética, então vamos lá!
Lembro que quando eu tinha 17 eu queria ter 15 enquanto minhas amigas queriam ter 18 logo! Talvez porque eu sempre tenha sido muito juvenil (de espírito) e fui percebendo que ser juvenil não era algo bem aceito na medida que eu ia crescendo, tínhamos que ser "mulheres", "sensuais" e eu: WTF?? não me sinto assim (eu sempre desencaixada nesta vida...).

Mas também acredito que seja porque quando se é mais nova você pode fazer loucuras e isso é tolerado. Quando mais velha você tem que ficar prestando contas sobre o "porquê" fez aquilo, "por que plantou bananeira, você já tem 30 anos!", "porque tá usando essa roupa?", "nossa que vergonha uma mulher na sua idade se comportar assim"
Ai que regrinhas chatas...
Do tempo não se tem escapatória, mesmo sendo jovem de espírito.

03. Você gostaria de ter nascido loira, morena, ruiva, negra ou mulata?
Queria ter nascido loira porque não precisaria descolorir o cabelo pra pintar das cores do arco íris. Fora que eu poderia tingir de ruivo usando oxigenada de 10 volumes e não a de 30 ou 40! Descoloração sucks!!
Mas eu nasci ruivinha e depois fiquei castanha.
Meu tom de pele é amarelado, por mim ok ter nascido com essa cor, eu gosto, não mudaria. Latinidade rules. 

Ah, mas lembrei que tive uma fase de querer ser branca a todo custo! Xingava o sol, não ia na praia e ficava emburrada quando os programas envolviam ar livre. Daí um dia percebi que eu tava inconscientemente reproduzindo um pensamento vira latas de não aceitação da minha miscigenação brasileira, tipo "as góticas gringas são brancas de morte PRECISO ser também"; e que isso não tinha nada nada nada a ver com meu estilo de vida. Daí, mandei um singelo phoda-se pra esse "embranquecer" que é uma reprodução de uma imagem do exterior e desde então sou infinitamente mais feliz. 
O sol é quente porque é uma estrela e eu quero ser parte do brilho estrelar dele *_*
 
04. E quanto a cor dos olhos, azuis, verdes, castanhos ou pretos?
Não me importo de ter olhos castanhos, eu posso usar lentes de contato pra mudar de cor!
E não tenho nenhum problema em dizer que adoro mudar a cor dos meus olhos artificialmente, faz parte da minha auto expressão estética. Na verdade quero testar mais e mais cores de lente (mas sou viciada na cinza...).
Nas fotos pode não parecer muito, mas pessoalmente dá pra ver de cara que uso lente colorida, é artificial e todo mundo nota. Mas isso é o de menos pra mim, eu não escondo.

E vale dizer também que sou míope, o que faz com que minha relação com meus olhos seja algo diário, então, se eu preciso de lentes pra corrigir um "defeito" visual, porque não me divertir em cima disto?? Why so serious?
 
05. Seu cabelo é natural ou tingido?
Tingido. Tingi direto dos 14 aos 18, fiquei uns 2 anos sem pintar e agora tem uns 10 anos direto que não uso na cor natural.

06. Gostaria de ser mais alta ou mais baixa?
Mais alta! Tipo 1,80 no mínimo! E usaria plataformas e saltões pra parecer uma ET (ETs são altos??).

07. Gostaria de ser mais magra ou mais encorpada?
Eu sempre fui magra e adoro ossos e esqueletos do corpo humano, acho-os lindos!!
♥ ossinhos ossinhos ossinhos ossinhos ossinhos
Segredo: eu sempre reparo nos ossos das pessoas...
Sim, eu sou estranha. Mas disfarço bem. Ou não hehe 

08. Você é mais menininha ou desencanada?
O que seria menininha e o que seria desencanada? É no sentido de moda ou comportamento?
Desencanada talvez seja uma coisa meio jeans, camiseta, chinelo, relax brô? 
Se menininha for algo tipo "feminina", sim, eu prefiro peças mais femininas. Mas nas atitudes me acho desencanada.

09. Você prefere calça jeans ou shorts jeans ?
Nenhum. Não uso esse tecido (blue jeans). 

10. Prefere vestido ou saia?
Saia. Porque com uma só, posso usar dezenas de blusas e variar nos looks!

11. Prefere macacão ou jardineira?
Nenhum dos dois. Talvez eu arriscasse uma salopete por ser saia embaixo.

12. Prefere usar sapatilhas e/ou saltos? Ou tênis e chinelo?
Prefiro sapatilhas e sapatos baixos no dia a dia. Saltos só se for anabella ou plataforma. 
Chinelo vou na praia e tênis pra exercício físico. Mas tem All-Star né? Esse eu uso no inverno o de botinha.

13. Você compra mais produtos de maquiagens e/ou cosméticos? Ou roupas e acessórios?
Quase não compro maquiagens e cosméticos. Posso passar meses sem comprar nada desta categoria. 
Compro com certeza mais roupas e acessórios.

14. Você se arruma mais pro dia, tarde ou noite?
Tarde!
De manhã só quero colocar uma roupa prática. Se eu for sair à tarde (ou trocar a roupa para esse horário) piora, porque eu tendo a me arrumar muuuuitoo!!
À noite é o horário que tenho um pouco de dificuldade de me vestir porque inconscientemente tem aquela história de que na nite os gatos são pardos e que a gente precisa seduzir ou conquistar pessoas, como se a gente precisasse "montar" um personagem. Então eu preciso de cautela pra não vestir um personagem e sim, vestir eu mesma mais elaborada. Mas acho que isso depende de onde se mora sabe? Porque se eu morasse numa cidade super quente como o RJ acho que eu seria mais desencanada com os trajes noturnos...

15. Qual celebridade você gostaria de ser?
Celebridade... alguma bem ryca e poderosa mesmo...tipo a Oprah!
Meu nome ia ser "Soprah" (S de Sana né?)

16. Defina-se em 3 palavras:
Maravilhosa, inteligente e Dyva!
kkkkk :P
Não, péra!
Punk, gótica e rocker!
Calma que eu tô indecisa. Posso ser tudo isso junto?

Indicação pra responder a tag: a Dyva vai indicar todas dyvas leitoras deste blog! :D
Só não esqueçam de linkar.