Mesmo que de 5 anos pra cá a moda alternativa tenha nos dado milhões de possibilidades acessíveis em termos de acessórios, eu ainda faço uso de alguns truques que invento ou pego ideia por aí.

Uma das coisas que eu gosto nas subculturas e nas estéticas alternativas é a desconstrução: use um produto não exatamente da forma que foi feito pra ser usado, reinvente, desmonte a ideia original. Use o que quiser e como quiser.


Pulseira como Tiara
Essa pulseira eu comprei em 2002 na época em que a moda clubber dava seus últimos suspiros. Comprei de um camelô que ficava andando na R. Augusta em frente à Galeria Ouro Fino (uma galeria de moda alternativa que eu frequentava) em São Paulo. Na verdade comprei duas, uma azul e essa rosa. Ambas brilham na luz negra e foram feitas pelo próprio camelô. E foram super bem feitas, porque veja quantos anos já se passaram e ainda estão inteiras!


O truque é simples: coloco bastante laquê no cabelo pra ele não ficar saindo do lugar. Abro a pulseira e prendo-a com grampinhos nos cabelos duros de spray. Daí coloco presilhas maiores nas duas bordas pra esconder os botões de pressão. 

Dá pra ver os grampinhos e a presilha tapando os botões de pressão

O mundo nos oferece tanta coisa pra comprar pronta que nos habitua a no primeiro impulso comprar uma peça nova. Será mesmo que precisa? Ou basta usar a criatividade e  se virar com o que tem? Um pouco de rebeldia pra desconstruir o dito como "certo" é uma liberdade criativa que não podemos perder!!


Chove e fica nublado há praticamente três semanas. Antes disso e durante, até fez uns 2 ou 3 dias de sol (27°) mas daquele tipo que de manhã e à noite você precisa mesmo usar um casaquinho ou bolero! Eu uso meia calça ou legging e calça de frio em casa há tempos! Nem consigo lembrar o último dia que usei as pernas nuas pra sair.

Desse clima úmido eu não sou muito fã, desumidificador de ar é necessário alguns dias e o muro, bem, ficou cheio de musgo. Não que eu não curta, é a natureza, portanto não estranhe se uma parede "verde" de repente invadir uma foto minha. Ela também tem direito. Quando o sol chegar forte o musgo logo vai sumir. 

O vento uiva e hoje ele está vindo do sul. O vento sul sempre é frio. Sempre! Já o vento norte (que estava ontem) não, é mais morno ou "normal". É um vento incessante há mais de 24 horas. Uns tempos atrás ventou assim por 3 dias direto, era uivo atrás de uivo e eu me perguntava até quando duraria. E sim, não tem usina eólica por aqui, acredite! A energia do vento não é aproveitada.

E a chuva? Vejo São Paulo clamando por chuva e aqui, é tanta água, mas tanta água caindo por vários dias que eu nem acredito na quantidade, só penso em como somos burros de não aproveitar essa água que cai do céu pra uma cisterna (até dei uma olhada em algumas ideias) e até mesmo nosso governo né? Que poderia captar esse mundaréu de água e dar um destino legal pra sociedade.

Bom, semana passada eu não vi o eclipse. Tava chovendo, mas no dia seguinte, à noite, fomos "presenteados" com um blackout na cidade! Nessas horas as velas e as luzes de led ajudam, fomos pra fora de casa pra passar o tempo, o céu clareou e milhões de estrelas apareceram, algumas que eu nunca vejo! Se estivesse um pouco mais escuro acredito que até a via lactea daria pra ver, porque tava muito, mas muito escuro.
Peguei a máquina e não resisti, dei um zoom bati uma foto da lua cheia! Ficou parecendo um melão hehe! E é com ela que termino o post. ;)



Para os celtas, o mês de outubro era consagrado à Cerunnos, o Deus Cornífero (falo um pouco sobre ele aqui) da natureza, do submundo, da fertilidade e da vida. Lá no Hemisfério Norte, os pagãos estão celebrando o começo do outono.


Existem brasileiros que praticam a roda do ano do Hemisfério Norte, mas muitos seguem nossas estações, no caso, a Primavera. Eu me sinto mais à vontade pra celebrar os ciclos do hemisfério sul, pois é aqui que habito e que percebo as mudanças da natureza. Mas boa parte do pessoal gosta de celebrar a roda do ano do norte por causa do... Halloween! Pois é. Tô querendo falar um pouco mais disso em breve...

É época de cor e flores!!

Ostara chegou à nós há uma semana atrás e o que mais gosto da Primavera, é o renascimento. O renascimento da natureza, da vida, da prosperidade... é engraçado porque um de meus filmes preferidos é O Jardim Secreto, sinto esse simbolismo naquela obra, quem não lembra de Dickon cortando um ganho de árvore seca no inverno mostrando que havia vida hibernando lá dentro? E Lady Mary jogando sementes na terra seca e um tempo depois vem a chuva e o jardim fica maravilhosamente florido? Fora a cena que o trio faz um ritual em torno da fogueira para que o pai volte para reencontrar o filho! E o filme tem isso mesmo, um toque de magia, dos ciclos da natureza e da vida, do renascimento que a primavera trás, visível na mudança no Colin, em seu pai e até mesmo em Lady Mary que era garotinha mimada e arrogante.




Nessa época, acho que nosso organismo deve começar a ficar mais leve pra chegada do verão, então gosto de melhorar minha alimentação aproveitando as frutas que virão em abundância pós inverno. Ter sempre a fruteira cheia delas, é um simbolismo de fertilidade da terra, que nos dá alimentos.


Também volto a incluir alguma cor nos meus looks, seja numa saia, num acessório... sei lá porque inventei isso, mas sinto que é meio que uma representação das cores da primavera/verão em mim!


Passeie bastante em parques, jardins, sinta a vida retornando do período de hibernação, enfeite a casa com flores, frutas, plante uma árvore, cuide do jardim, coloque flores no cabelo e aproveite esse simbolismo de renovação pra reinventar sua vida.



Tem gente não lê o papel das instruções da tintura de cabelo. Vai lá no youtube e procura "Como usar a tinta tal" e depois ainda deixa uma dúvida nos comentários. Dúvida que está lá, claramente sanada e ilustrada no papel das instruções... 

Estamos desaprendendo a ler? Estamos focando na audição e no visual? Porque ao invés de continuarmos independentes no aprendizado, recorremos aos explicadinhos timtim por timtim do outro? Precisamos de ajuda pra pensar?

Ainda saberemos escrever? Ou só restarão garranchos por falta de prática da escrita?

Eu sento e e leio as instruções completinhas do produto em silêncio, comigo mesma ou tomando um café, refletindo, aprendendo. Gosto do processo da descoberta solitária, aprender e se sentir capaz de fazer tudo. E se rolar dúvida, reler.

E eu fico com minhas caveiras, pensando... qual a psicologia do ato de confiar mais num vídeo do que nas instruções do papel? Qual o ponto que a pessoa faz esta escolha? Será que se sente menos solitária? Será que se sente mais auto confiante? Será que pensa que por ter outras meninas usando, também será parte de uma turma e será abraçada? Será medo te tomar uma decisão sozinha, raciocinando por si mesma?  
Será que procura aceitação, compreensão, ser ouvida, algo que um pedaço de papel não pode lhe dar?

Ler é um aprendizado, uma pausa no tempo/espaço onde você fica com você mesma.