Se alguém me perguntasse agora: Como você adentrou na cultura alternativa?
Eu responderia: Foi através do Rock n Roll.
A válvula de escape pra toda minha angústia juvenil foi o rock e suas inúmeras vertentes. Primeiro veio a música. O visual, a moda, o interesse por roupas, só veio anos depois quando eu entendi e senti a necessidade de demonstrar aquilo que eu gostava para o mundo.
A Doro foi, talvez, a primeira artista mulher de metal que conheci, e com o tempo se tornou uma grande referência pra mim. Esses dias foi lançado seu novo clipe, de um  EP lançado hoje. O que eu achei do vídeo? Bom, esse é o primeiro vídeo "superprodução" da Doro, com dinheiro doado dos próprios fãs por crowdfunding. A Doro é aquele tipo de artista que faz poucos clips ou faz clipes muito simples pois ela sempre investe o dinheiro que ganha nas turnês.


O tema do vídeo me surpreendeu: violência contra mulheres. E isso dividiu opiniões entre os fãs, uns amaram outros odiaram. Nunca imaginei Doro fazendo um clip alertando sobre a violência doméstica ou violência verbal e moral contra mulheres. Na verdade, qualquer assunto mais "feminista" é rechaçado no meio Heavy Metal tradicional. 

Doro declarou: "um amor quando chega ao fim é marcado por profundas emoções e pessoas podem ter ações irracionais. Um tema que me toca profundamente por dentro. Desencadeia sentimentos que mulheres experimentam antes de poder compreender. Ás vezes é brutal, então o clipe tem contrastes e mostra o lado feio dessa relação amorosa."

Eu não sei se se vocês já viram o clipe, vou deixá-lo aqui, e logo abaixo dele faço a conclusão de meu pensamento, pois vai conter spoilers.



O final, me fez pensar no porque eu gosto da Doro: porque ela não dá o braço a torcer. Quando você pensa que a mulher do clipe "aceitou a derrota" para o namorado, ela na verdade decidiu se livrar de uma pedra no caminho (o abusador) por um meio indireto. Afinal, quantas mulheres não aguentam silenciosas os abusos? E pior: quantas não conseguem escapar de seus abusadores que as tratam como propriedades? 
No finzinho aparece ela no hospital dando um sorriso (e de batom e sombra haha!), eu concluí que ela se cansou e planejou se livrar de vez do cara fazendo um plano de quase se matar ou fingir se matar, tudo muito bem calculado de forma que ela sobrevivesse. Acaba sendo uma metáfora das mulheres que traçam planos e/ou que conseguiram se livrar de abusadores após muito sacrifício pessoal.

Lembrou-me até o final de Romeu e Julieta, mas sem a Julieta se rendendo ao seu amor. E juntando com o início do post: é por isso que eu gosto de rock, porque alguns artistas nos abrem a mente pra questionamentos sociais. E foi isso que Doro fez ao final desse vídeo: ela te fez questionar? Te fez refletir sobre um tema? Te fez pensar em mulheres e seus relacionamentos abusivos? Te fez pensar em relações de poder?
Bem vindo ao lado do rock que nunca deve morrer!


5 Comentários

  1. Acho ela maravilhosa e tratar sobre feminismo no heavy metal é necessário sim, ainda vejo o meio extremamente machista!

    Beijos
    www.divadebrecho.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu nunca tinha visto um vídeo clip da Doro, apenas vídeos de shows. Eu gostei do vídeo clip. Sinto falta de ver pequenas histórias contadas no vídeos das músicas e o tema do vídeo não podia ser mais apropriado. Tenho muitas amigas (os) fãs da Doro tenho certeza que eles também gostarão do vídeo.

    :)

    ResponderExcluir
  3. Essa mulher é perfeita <3 um verdadeiro ícone em todos os sentidos.
    No metal a figura da mulher sempre é da safada,da mulher objeto,da mulher fácil,da dançarina prostituta gostosona,na maioria dos clips,esse é o papel da mulher.
    Tem muito chão para que isso mude,e ver um clipe assim é muito legal,final lindo.
    bjos

    ResponderExcluir
  4. Ahhhh mas que coisa mais linda!
    Esses novos albuns da Doro eu não conheço, mas ouvia muito os antigos e até a epoca de Warlock!
    Ela é uma diva lindona e chegou na idade de uma forma incrivel!
    E que voz né?
    As pessoas falam mal de rock, mas não entendem sua verdadeira essência, tenho muito orgulho de gostar desse estilo musical!

    www.memoriasdeumaguerreira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Eu não tinha visto esse clipe ainda (pra ver o quanto a pessoa anda desligada, né.. rs), mas enfim, que bacana ela tocar nesse tema que é quase um tabu nesse meio que tem andado tão conservador, pra minha tristeza.
    É pra isso que o rock serve gente, não se esqueçam nunca. Pra te fazer pensar, questionar e, principalmente, não aceitar tudo que te querem fazer engolir.
    Gostei muito do clipe, principalmente do final e entendi do mesmo jeito que você. Como uma metáfora para a realidade em que milhares de mulheres arrumam um jeito de sair de relacionamentos abusivos.
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela interação. Os comentários serão respondidos aqui mesmo ^-^