A Linkagem de hoje é sobre política (sim!)

Eleição tá chegando e não se esqueçam: votar nulo e branco não é voto contabilizado.
Votos brancos, nulos e abstenções NÃO entram na contagem de votos!
Só é eleito quem tem votos válidos
Então quem pensa que votar nulo ou branco vai gerar novas eleições, vai ser uma revolta popular, voto de protesto: interpretação errada da lei.
Eu já votei nulo diversas vezes por não achar ninguém adequado, mas não caiam nessa de que é "revoltinha" que vai sacudir o país. É opção. É escolha. Nada mais que isso.

Não há nada de errado com aqueles que não gostam de política.
Simplesmente serão governados por aqueles que gostam. (Platão)

Eu sempre gostei de política e sei que fujo um pouco da regra dos brasileiros. Pra mim política e religião se discute, devem ser temas de conversas abertas, históricas, sociológicas e antropológicas. Não devem ser silenciadas e nem tabus. A falta de informação é que gera a ignorância. E da ignorância vem o preconceito.
Eu acredito que alternativos não precisam ser pessoas alienadas politicamente! Na verdade, se analisarmos algumas subculturas, várias delas tem certas ideologias ou engajamentos em certas pautas. Eu sinto falta de ver alternativos brasileiros engajados na política tanto como são com batons e delineadores, produtos de cabelo ou guitarras. Justo nós que buscamos informações fora do senso comum... justo nós que queríamos andar na rua com a roupa e o visu que gostamos... precisamos nos engajar nas mudanças (ou permanências) que desejamos!

Pra quem é a favor do direito de minorias, aqui vai minha primeira linkagem, pra analisar candidatos, cliquem no link a seguir:
http://merepresenta.org.br

Sabe o mais bizarro? Dentre os ítens que selecionei, não tem candidato na minha cidade...
Sei que é uma cidade conservadora mas fiquei chocada.
Mas bom pra saber em que nível estamos em termos de políticos interessados em direitos humanos... e nesse caso, depois de refletir, não descarto anular voto, mas já sabendo claro, que não é voto de protesto, é opção!

http://merepresenta.org.br

A segunda linkagem é na verdade um vídeo do programa Espelho, com Lázaro Ramos no Canal Brasil - adoro esse programa, pois alguns convidados sempre soltam questionamentos interessantes, pensamentos alternativos, fora da regra -  com o professor Douglas Belchior.

É ÓTIMO - sobre racismo estrutural!



Como eu disse ali em cima que pra mim política se debate sim, eu listei um pequeno glossário dos meus livros 'O que é Sociologia' e do 'História Geral' sobre temas que são muito comentados nessa época, mas que nem sempre são fáceis de entender:

Ideologia: ideias que oferecem um ponto de vista ou conjunto de crenças para um grupo social.

Comunismo: sistema econômico baseado na posse coletiva da propriedade e dos meios de produção. 

Socialismo: doutrina política que visa estabelecer igualdade social e econômica.

Marxismo: alega que mudanças sociais advêm de conflitos entre classes sociais (os donos dos meios de produção x as massas trabalhadoras exploradas).

Esquerda: No espectro político, as ideias de quem acredita que cabe ao Estado reduzir as desigualdades socioeconômicas.

Direita: No espectro político, as ideias de quem acredita que desigualdades socioeconômicas devem ser reduzidas unicamente através do esforço dos indivíduos.

Fascismo: Sistema político, econômico e social nacionalista, anti-democrático, anti-operário, anti-liberal e anti-socialista. Prega o militarismo, totalitarismo (nada deve existir acima, fora e contra o Estado); autoritarismo (a autoridade do líder é indiscutível); a liberdade é desnecessária.

Liberalismo: Defende princípios burgueses, propriedade privada; individualismo econômico, liberdade de comércio e produção, sem controle do Estado.

Neoliberalismo: a crença de que os livres mercados, o governo limitado e as respostas dos indivíduos oferecem melhores soluções para os problemas do que o Estado.

Anarquismo: Prega a supressão de toda forma de governo. Propõe uma sociedade sem classe, sem exploração, de homens livres e iguais. Substitui o Estado por uma "república de pequenos proprietários".

 
Cidadãos conscientes fazem melhor política! Até a próxima linkagem ;D



Uma vez conversando com uma antiga colega de escola, lembramos de nosso ano escolar de 1996. 
Naquela época, raspar sobrancelha era algo super transgressor.

Um dia minha colega de classe apareceu com elas raspadas e a gente ficou meio em choque. 
Putz, você teve coragem?? 
 
Pegávamos o o busão juntas e o olhar das pessoas era bizarro. 

É tão louco pensar que hoje, por conta da popularização de certos tipos de maquiagem, raspar a sobrancelha tem se tornado uma questão de beleza e não mais de transgressão. É algo que ultrapassou o mundo alternativo chegando até em mulheres elegantes.
 
Talvez a principal diferença da época pra agora, é que as sobrancelhas eram raspadas, mas não desenhadas. Ficava-se SEM sobrancelha e esse é um visual que nem todo mundo sustenta, é verdade.

É interessante como as a estética, o comportamento, o que é aceito, belo, muda de acordo com as épocas e como conceitos mudam pelo caminho. 
 
O choque muda de foco e daí pra normalidade (ou quase isso) é um passo.



 


É doido porque às vezes eu caio nuns canais do youtube com milhaaares de seguidores e vou assistir os vídeos. As youtubers se comportam como adolescentes (mas são adultas!): bobinhas, bobinhas... sacodem braços, fazem careta, fazem cenas, piadinhas, querem ser engraçadas... parecem personagens daqueles programas cômicos sem graça.
"Boba alegre", como diria minha vó.

O ruim é que mesmo que o assunto seja legal, chega um ponto que não consigo mais assistir pois tanta expressão corporal me rouba o foco do assunto (e eu não tenho nem um pouco de déficit de atenção, imagiiiina...).

Eu sempre tento discordar daqueles estudos sociológicos e antropológicos que dizem que a geração Y não quer crescer, fico pensando, "estão julgando eles errado, os Y são incríveis!". Mas sei lá, sempre tem uns pra sujar a imagem da comunidade, né? Vai que justamente essas bobeirinhas é que são o segredo do sucesso de tantas youtubers?

Eu só espero não estar ficando mais velha e careta. 
Mas se eu estiver ficando, paciência. Em fazer ar blasé eu sempre fui boa. 

Marlene me ensinou a ser blasé ;D